Juros e prestações dos créditos à habitações continuaram a descer em setembro

Juros e prestações dos créditos à habitações continuaram a descer em setembro

 

Lusa/AO online   Economia   24 de Out de 2012, 10:50

A taxa de juro e a prestação média vencida nos contratos de crédito à habitação continuaram a diminuir em setembro, fixando-se nos 1,938% e nos 274 euros, respetivamente, divulgou esta quarta-feira o INE.

Face a agosto, a taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação recuou 0,092 pontos percentuais (p.p.), enquanto a prestação média vencida diminuiu 3 euros.

Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, a taxa de juro implícita foi 3,698%, menos 0,058 p.p. do que no mês anterior.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de juro “tem vindo a aproximar-se da taxa mais baixa da série”, observada em junho de 2010 (1,810%), sendo que a diminuição acumulada desde dezembro de 2011, mês da última inflexão da série, é de 0,776 p.p..

Nos contratos para aquisição de habitação, a taxa de juro implícita em setembro diminuiu 0,092 p.p. face a agosto, situando-se em 1,949%.

O INE nota, contudo, que esta taxa é ainda superior em 0,123 p.p. à taxa mínima da série, de junho de 2010.

Já a taxa de juro implícita de 3,698% para os contratos celebrados nos últimos três meses situou-se ainda 1,700 p.p. acima da taxa mínima da série observada em maio de 2010.

Neste tipo de contratos, a taxa de juro implícita para o destino de financiamento aquisição de habitação diminuiu 0,050 p.p. em relação ao mês anterior, fixando-se em 3,663% em setembro, 1,657 p.p. acima da taxa mínima da série registada em maio de 2010.

Quanto ao valor médio da prestação vencida para a totalidade dos contratos em vigor, fixou-se, em setembro, nos 274 euros, diminuindo três euros relativamente a agosto.

Para os contratos de crédito à habitação celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação foi de 354 euros, mais nove euros do que em agosto.

Os contratos com destino aquisição de habitação viram o valor médio da prestação vencida recuar três euros em setembro, para 283 euros, sendo que, para este destino de financiamento, os contratos celebrados nos últimos três meses registaram uma prestação média vencida de 374 euros (mais seis euros que em agosto).

Globalmente, o valor do capital médio em dívida era, em setembro, de 59.095 euros, enquanto para os contratos com destino de financiamento aquisição de habitação era de 62.100 euros (59.177 euros e 62.182 euros, em agosto, pela mesma ordem).

Já nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio do capital em dívida com destino de financiamento aquisição de habitação foi 79.833 euros (79.931 euros em agosto).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.