Juros das prestações atingem máximos de há um ano

Juros das prestações atingem máximos de há um ano

 

Lusa/AOonline   Regional   29 de Dez de 2010, 11:32

 A taxa de juro implícita dos contratos de crédito à habitação em Portugal continuou a subir em novembro para 1,992 por cento, atingindo o máximo desde dezembro de 2009, avançou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O valor médio da prestação vencida foi de 257 euros, um aumento médio de dois euros na prestação de quem tem de pagar o seu empréstimo, face ao mês anterior.

De acordo com o INE, nos contratos celebrados nos últimos três meses a taxa de juro implícita aumentou para 2,694 por cento, o que correspondeu a um acréscimo mensal de 0,172 pontos percentuais.

Já nos contratos efetuados nos últimos 6 e 12 meses as taxas subiram para 2,432 por cento e 2,276 por cento, respetivamente.

O INE refere ainda que o valor médio do capital em dívida dos contratos de crédito à habitação em vigor ascendeu a 56.841 euros, superior em 64 euros quando comparado com o mês de outubro deste ano.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.