Junta militar da Mauritânia liberta Presidente deposto


 

Lusa/AOonline   Internacional   13 de Nov de 2008, 11:07

A junta militar libertou o ex-Presidente Sidi Ould Cheikh Abdallahi, deposto em Agosto último num golpe de Estado, respondendo assim à pressão da comunidade internacional, afirmaram fontes policiais e familiares.
O chefe da polícia local, Mohamed Ould Cheikh, confirmou que o Presidente deposto foi transportado para a sua casa em Lemden, a sul da capital Nouakchott, estando sob vigilância.

    A mesma fonte referiu que a libertação do político surge como resposta ao ultimato da União Europeia, que em Outubro passado deu um mês, como prazo limite, à Mauritânia para apresentar propostas sobre um regresso do país à ordem constitucional.

    "Na ausência de novos elementos no espaço de um mês, as consultas estarão fechadas e as medidas apropriadas serão propostas às instâncias decisórias da UE", precisou então a comunidade europeia.

    Os Estados Unidos também apelaram à libertação do ex-Presidente.

    Familiares de Abdallahi confirmaram igualmente a libertação do político, que foi o primeiro Presidente eleito do país.

    O golpe de Estado de 06 de Agosto foi liderado pelo chefe do Estado-Maior e comandante da guarda presidencial, que havia sido demitido das suas funções por decreto do chefe de Estado.

    Na altura, o primeiro-ministro, Yahya Ould Ahmed Wagef, também foi detido por membros da guarda presidencial.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.