Presidência UE

Interesses comuns em África marcam conversa de Sócrates e Barroso com presidente chinês


 

Lusa/Ao online   Nacional   28 de Nov de 2007, 07:41

O presidente em exercício da União Europeia, José Sócrates, iniciou hoje a conversa com o presidente chinês Hu jin Tao, em Pequim, elegendo os interesses comuns em África como uma das prioridades do diálogo China/União Europeia.
"A União Europeia está a completar um ciclo de cimeiras com todos os países que têm hoje uma expressão económica crescente: Brasil, Rússia, China e Índia, mas queria também salientar a próxima cimeira com África. E é justamente esse um dos pontos da nossa agenda", disse José Sócrates, durante o encontro no Palácio do Povo.

    O presidente em exercício da União Europeia e o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, foram recebidos pelo presidente chinês, que se fez acompanhar pelo vice-ministro Dai e pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiros Kong.

    Nas primeiras declarações, as únicas a que a imprensa teve acesso, José Socrates manifestou a vontade de "poder encontrar mecanismos de cooperação conjunta para promover em África mais estabilidade, crescimento económico e redução da pobreza".

    Hu Jin Tao agradeceu a presença em Pequim dos dois políticos portugueses que nesta altura lideram a União Europeia, referindo-se sempre a José Socrates como "primeiro-ministro".

    O presidente chinês salientou ainda os 10 anos de amizade que marcam a parceria estratégica entre a China e a União Europeia, dando depois a entender que preferia ouvir o que José Sócrates e Durão Barroso tinham para lhe dizer.

    O encontro começou às 15:25 horas de Pequim (07:25 horas de Lisboa) e ainda decorre, tendo uma duração prevista de cerca de 45 minutos.

    Após este encontro José Socrates e Durão Barroso fecham a cimeira de negócios que decorre também em Pequim, seguindo depois para a cimeira União Europeia/Ásia marcada para as 17:00 horas em Pequim.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.