Açoriano Oriental
Insegurança justifica intenção de ter meios da PSP na Polícia Municipal

Autarca de Ponta Delgada quer reforçar o efeito dissuasor e promover uma maior “abertura” da Polícia Municipal no combate a ilícitos criminais

Insegurança justifica intenção de ter meios da PSP na Polícia Municipal

Autor: Carolina Moreira

O presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Pedro Nascimento Cabral, confirmou ontem a intenção manifestada esta semana pela autarca do Funchal em apresentar um projeto conjunto ao Governo da República para que a Polícia Municipal venha a ter no seu efetivo agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Em declarações aos jornalistas, nos Paços do Concelho, Pedro Nascimento Cabral justifica a intenção com a necessidade de haver “uma maior dissuasão e abertura por parte das Polícias Municipais para combater o ilícitos criminais”, tendo em conta os problemas detetados em ambos os concelhos de São Miguel e da Madeira associados à “insegurança, sem-abrigo e à questão das dependências”.

“A formação da Polícia Municipal é completamente diferente da PSP e o que nós pretendemos é integrar nas polícias municipais de Ponta Delgada e do Funchal, à semelhança do que já acontece com Porto e com Lisboa, agentes da Polícia de Segurança Pública  que serão naturalmente suportados através do erário autárquico, quer de uma câmara quer de outra. A inclusão desses elementos irá trazer outra experiência e outra atuação por parte do corpo da PSP na Polícia Municipal”, justificou o autarca de Ponta Delgada, salientando que atualmente o comandante da Polícia Municipal de Ponta Delgada é agente da PSP, assim como o segundo oficial de coordenação.

Além disso, realça Pedro Nascimento Cabral, “nós temos uma especificidade muito própria atendendo à nossa condição insular e da distância que existe relativamente a outros meios de combate ao crime e, por isso, esta interligação entre as polícias municipais e a PSP só poderá trazer bons frutos”, destacou.

Segundo o autarca, para concretizar esta intenção será necessário “alterar o estatuto da Polícia Municipal”, pretendo, por isso, em conjunto com a Câmara do Funchal, reunir com o Governo da República para “apresentar esta proposta e depois trabalharmos dentro daquilo que são os timings legais caso a mesma mereça procedimento”.

À margem da apresentação das festas do Espírito Santo, que irão decorrer no segundo fim de semana de julho, Pedro Nascimento Cabral realçou ainda que, “no princípio do mês de agosto”, a Polícia Municipal de Ponta Delgada será reforçada com mais 13 elementos, permitindo que esta força municipal integre um total de 39 elementos.
“Se conseguirmos juntar a este corpo da Polícia Municipal cinco ou seis agentes da PSP, aqueles que a PSP nos conseguir disponibilizar, já será uma grande ajuda para que possamos ter aqui mais acutilância ou uma maior abrangência de atuação”, frisou.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados