Igualdade de géneros por alcançar


 

Paula Gouveia   Regional   10 de Nov de 2007, 17:00

"O problema da igualdade entre homens e mulheres não está, de todo, resolvido pelo que é necessária uma postura de alerta permanente para o conseguir ultrapassar", advertiu Vasco Cordeiro, secretário regional da presidência.

 

Ontem, no seminário "A Mulher no Movimento Lion, a Mulher na Educação e a Mulher na Política", promovido pelos Lions Clube de São Miguel, Vasco Cordeiro disse ainda que "se ao nível da legislação e das constituições está consagrado o dever de igualdade, o facto é que muitas circunstâncias do dia-a-dia para as mulheres e homens acabam por induzir outro tipo de discriminação".

A presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, por sua vez, apelou à iniciativa da mulher, na perspectiva de que o exercício de cidadania é hoje um dever, mais do que um direito. E afirmou que a mulher deve saber que ao ocupar o seu lugar na sociedade deve fazê-lo com naturalidade e por vontade própria e "não por qualquer ditame imposto por quotas (que deve ser encarado como medida transitória)". Deste modo, sustentou Berta Cabral, é importante apelar "mais à iniciativa da mulher do que à consciência do homem", na certeza de que "o exercício da cidadania não tem sexo e quando falamos numa sociedade civil forte, exigimos que ela seja participada por todos e que cada um tenha a justa consciência dos seus direitos e deveres", justificou.

||pg
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.