Paquistão

"Hoje é o dia mais negro da história" do país - Benazir Bhutto


 

Lusa / Ao online   Internacional   3 de Nov de 2007, 21:36

A antiga primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto afirmou hoje que a declaração do estado de emergência no Paquistão constitui o "dia mais negro da história" do país.
    "Hoje é o dia mais negro da história do Paquistão", afirmou a antiga chefe do executivo de Islamabade, que considerou ainda que a decisão do presidente Pervez Musharraf "só permitirá encorajar as actividades dos Talibã e da Al Qaida".

    Sustentando que a imposição do estado de emergência é uma medida que se aproxima de um regime ditatorial, Benazir Bhutto destacou que não se trata de uma Lei Marcial, dado que Musharraf a tomou enquanto chefe do Estado-Maior das Forças Armadas e não como um presidente civil"

    "Opomo-nos vivamente a essa decisão e não a iremos aceitar", acrescentou.

    Horas antes de Benazir Bhutto regressar ao Paquistão, depois de passar umas semanas com a família nos Emirados Árabes Unidos, Musharraf decretou o estado de emergência, cortou as comunicações na capital e substituiu o ministro da Justiça antes de o Supremo Tribunal decidir sobre a legalidade da sua vitória nas presidenciais de 06 de Outubro último.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.