Todo-o-Terreno

Hélder Rodrigues feliz com título mundial, aponta já ao Dakar

Hélder Rodrigues feliz com título mundial, aponta já ao Dakar

 

Lusa/AO online   Motores   10 de Out de 2011, 16:24

O português Hélder Rodrigues mostrou-se hoje “muito feliz” com o título mundial de todo-o-terreno em motos, apontando já para o Dakar de 2012, no qual quer melhorar o terceiro lugar alcançado este ano.

“Muito feliz com a minha vitória e esta receção. Significa que foi importante para mim, mas também para Portugal. Estou feliz pela minha vitória, mas também pela importância que teve no meu país”, afirmou.

À chegada ao aeroporto de Lisboa, depois de no domingo se ter sagrado campeão do Mundo no Rali dos Faraós, no Egito, Hélder Rodrigues disse que este triunfo “representa um trabalho de vários anos, duro”, em que passou “muitas horas na moto, muitas horas no ginásio, muitas horas na mecânica da moto”.

“Neste momento, consegui concretizar um objetivo. Há dois anos tive a oportunidade, mas infelizmente, devido a alguns problemas, não consegui”, lembrou o lisboeta de 32 anos.

Para Hélder Rodrigues, o segundo lugar no Rali dos Faraós “foi mais difícil do que pensava”, sobretudo devido ao “desgaste psicológico”.

“Foi uma corrida longa, muitas horas em cima da moto. Tinha uma boa vantagem sobre o segundo do campeonato, mas queria fazer uma boa corrida, o que consegui, terminando em segundo e ganhando três dias em seis. Foi tudo como sonhava, ficar no pódio e vencer o campeonato”, adiantou.

Dizendo-se “orgulhoso” pelas felicitações recebidas do Presidente da República, Cavaco Silva, o motard disse que o Dakar é outro objetivo que tem.

“No ano passado fui terceiro, este ano quero melhorar. A vitória é possível, mas o meu objetivo principal é melhorar o terceiro lugar”, referiu.

Hélder Rodrigues disse que gostaria de ficar “com a mesma equipa, com os mesmos patrocinadores e a mesma moto”, dando continuidade a um projeto que iniciou e que é todo feito em Portugal.

O pai do piloto, Norberto Rodrigues, disse que no domingo teve “um sentimento de grande alegria”, recordando que “ser campeão do Mundo não é ser campeão da Costa da Caparica, ou de Odivelas, ou de Portugal”.

“Havia desde o início o sentimento que ele podia vir a ser campeão, mas há sempre muitas coisas imprevistas que podem acontecer. Foi uma emoção grande. Gostei muito, fiquei muito contente. É um título para o qual ele tem trabalhado tanto”, referiu.

De acordo com Norberto Rodrigues, “o Dakar é uma nova aposta”, lembrando que o seu filho “tem vindo a melhorar a sua prestação”.

“No primeiro ano, foi nono, foi o melhor ‘rookie’ e ganhou a classe de 450cc. No segundo e no terceiro foi quinto, depois foi quarto e no último ano foi ao pódio. Ele trabalha para tentar melhorar a prestação”, afiançou.

Recordando o grave acidente que Hélder Rodrigues sofreu em 2007, Norberto Rodrigues disse que o filho tem “posto de parte toda essa parte negativa e pensa na parte positiva”, reconhecendo que “aquilo foi um descuido, uma desatenção, uma falta de preparação”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.