Granadeiro diz que PT pode ser alvo de OPA

Granadeiro diz que PT pode ser alvo de OPA

 

Lusa/AO online   Economia   6 de Dez de 2007, 17:10

O presidente da Portugal Telecom (PT) sustentou que o excesso de regulação poderá colocar a empresa à mercê de uma OPA, ao limitar a sua capacidade de investimento e crescimento.
     "Sem inovação e investimento vamos fatalmente ser consumidos em qualquer movimento de consolidação do sector", afirmou Henrique Granadeiro no 17º Congresso das Comunicações.

    Sem um enquadramento regulatório adequado, a PT não tem "qualquer capacidade de sobrevivência neste mundo que se globaliza", acrescentou o gestor.

    Henrique Granadeiro defendeu que os constrangimentos regulatórios a que a empresa está sujeita limitam a sua capacidade de ser competitiva e de realizar os grandes investimentos que são necessários nas redes de nova geração.

    Também disse que a PT não aceita investir em infra-estruturas que depois seja forçada a abrir aos concorrentes e notou que o modelo regulatório "tem sido usado em defesa dos concorrentes e não dos consumidores".

    "Estamos preparados para realizar um novo ciclo de investimentos, assim que haja um enquadramento que nos permita fazê-lo sem ter que o partilhar com outros operadores", adiantou Granadeiro, acrescentando que os accionistas da PT "estão mobilizados para [apoiar a administração] em qualquer projecto que faça sentido".

    Ainda assim, o presidente da PT sublinhou que a empresa não tem "qualquer conflito com o regulador, nem diferenças substanciais", mas sim "visões diferentes sobre determinadas matérias".

    Notando que preferia ver a "questão da regulação conduzida no âmbito do diálogo institucional", Granadeiro citou o exemplo espanhol e disse que "a cumplicidade entre Governo [espanhol], regulador e Telefónica esteve na base do sucesso da estratégia global" do operador histórico espanhol.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.