Governos do todo o mundo reúnem em Moscovo para pôr fim ao "massacre" dos acidentes


 

Lusa / AO online   Internacional   15 de Nov de 2009, 12:40

Ministros dos transportes de todo o mundo vão reunir-se pela primeira vez esta semana, em Moscovo, para aprovarem uma estratégia mundial sobre segurança rodoviária que acabe com o "massacre" dos acidentes nas estradas.

Os factores implicados na sinistralidade rodoviária, como as infra-estruturas mal feitas, inseguras ou sem manutenção adequada, segurança dos peões, excesso de velocidade, álcool, não utilização de cinto de segurança ou os veículos em circulação em más condições são alguns dos temas que vão ser discutidos na primeira Conferência Ministerial Mundial para a Segurança Rodoviária, que se realiza quinta e sexta-feira na capital da Rússia.

Organizada com o apoio das Nações Unidas, Federação Internacional do Automóvel (FIA), Organização Mundial da Saúde e Banco Mundial, a conferência pretende reunir ministros dos transportes de todo o mundo para que tomem decisões estruturais sobre segurança rodoviária e adoptem a Declaração de Moscovo.

"Finalmente os governos resolveram encontrar-se para ver quais são as medidas que podem tomar para pôr cobro a este massacre", disse à Agência Lusa o presidente do Automóvel Clube de Portugal (ACP) e vice-presidente da FIA para a mobilidade, Carlos Barbosa.

Segundo a organização, a Declaração de Moscovo visa "reforçar a cooperação internacional de forma a serem dados passos concretos com vista à redução da sinistralidade em cada país".

Carlos Barbosa, que vai participar na iniciativa, adiantou que a intenção é que "os governos aprovem uma estratégia mundial para acabar" com a sinistralidade rodoviária, tendo em conta que "não existe uma estratégia em comum".

O presidente da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária estará na conferência em representação do ministro da Administração Interna e o Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações far-se-á representar pelo Instituto de Infra-Estruturas Rodoviárias (InIR).

Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 1,2 milhões de pessoas morrem e 50 milhões são feridas em consequência de acidentes de viação anualmente em todo o mundo.

As projecções indicam que estes números vão aumentar em cerca de 65 por cento nos próximos 20 anos, a menos que exista um novo empenho na prevenção.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.