Governo dos Açores diz que oposição tece “cenários dantescos” no turismo

Governo dos Açores diz que oposição tece “cenários dantescos” no turismo

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Abr de 2019, 17:05

A secretária regional dos Transportes dos Açores acusou esta quarta-feira a oposição de “cobrir tudo de negro”, de “nuvens carregadas” e de falar em “cenários dantescos” no turismo regional, e apontou números do crescimento do transporte aéreo nos últimos anos.

Ana Cunha, que interveio no parlamento dos Açores, na Horta, no debate de urgência sobre turismo e acessibilidades proposto pelo CDS-PP, declarou que em 2018 desembarcaram nos aeroportos dos Açores 1,6 milhões de passageiros, mais 711 mil do que em 2014, um acréscimo de 68%.

A titular da pasta dos Transportes referiu que nos voos territoriais (entre a região e o continente português) houve um aumento de 336 mil passageiros em 2014 para 745 mil em 2018, um crescimento de 122%.

Segundo a governante, este ano a “tendência de crescimento dos passageiros desembarcados mantém-se”, tendo nos primeiros dois meses do ano desembarcado mais 9.600 passageiros do que em igual período de 2018.

Na apresentação do debate de urgência, o deputado centrista Alonso Miguel manifestou “preocupação com as acessibilidades e com o turismo” nas ilhas do grupo Central, tendo em conta os resultados verificados na Terceira: “Como é lógico, serve também de plataforma de captação de turistas para as restantes ilhas” daquele grupo, afirmou.

“Preocupa-nos que a ilha Terceira tenha sido a ilha que menos cresceu no último verão IATA [definido pela Associação Internacional de Transporte Aéreo] em termos de passageiros desembarcados e que o aeroporto da Terceira tenha sido o único na região a registar quebras nos meses de junho e julho de 2018, relativamente a 2017, com menos 1.155 passageiros em junho e menos 502 passageiros em julho”, declarou o parlamentar, que reivindicou a adoção de medidas para inverter este cenário.

O social-democrata António Pedroso referiu no debate parlamentar que a Delta Air Lines aumentou os voos internacionais de Nova Iorque para Ponta Delgada este ano e, “mais uma vez, a Sata não consegue acordo ‘interline’ com esta companhia de forma a que os clientes possam chegar a qualquer ilha dos Açores com as mesmas condições que chegam a São Miguel”.

Para o deputado do PSD/Açores, a maioria dos turistas “não consegue sair de São Miguel, por “falta de disponibilidade de lugares na Sata Air Açores”, uma vez que “todas as outras ilhas com ‘gateways’ se queixam de que os lugares disponibilizados não são suficientes para satisfazer a oferta de alojamento nas respetivas ilhas, como é o caso do grupo Central”.

O parlamentar do PPM Paulo Estêvão aproveitou o debate para considerar que "não é aceitável" que haja doentes que se pretendem deslocar ao exterior da ilha do Corvo e não o possam fazer por falta de lugares na Sata Air Açores, apontando o caso de um doente oncológico que tinha uma consulta em Lisboa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.