Açoriano Oriental
Governo dos Açores apoia em 250 mil euros Associações de Proteção Animal e Centros de Recolha Oficial nesta legislatura

O Diretor Regional da Agricultura afirmou hoje, na ilha Terceira, que, nesta legislatura, o Governo dos Açores vai apoiar em 250 mil euros as Associações de Proteção Animal e os Centro Oficiais de Recolha (CRO), o que muito tem contribuído para melhorar os níveis de bem-estar dos animais abandonados, errantes e de companhia na Região.

 


Governo dos Açores apoia em 250 mil euros Associações de Proteção Animal e Centros de Recolha Oficial nesta legislatura

Autor: AO Online/ GaCS

“Em 2018, quando se iniciou este apoio, tivemos cinco associações beneficiadas. Este ano candidataram-se nove associações de proteção animal e, fruto da alteração legislativa promovida pelo Governo dos Açores, os Centros de Recolha Oficial passaram também a poder beneficiar deste apoio”, referiu José Élio Ventura, à margem da visita ao canil da Associação Amigos dos Animais da Ilha Terceira.

O Diretor Regional salientou que este apoio financeiro visa ajudar estas entidades a suportar custos com a esterilização, a vacinação, a desparasitação, a alimentação e outros atos médico veterinários, algo que se tem revelado muito importante para evitar, por exemplo, o surgimento de ninhadas indesejadas.

José Élio Ventura afirmou que o Governo dos Açores tem realizado um trabalho regular e pedagógico ao nível da fiscalização dos cinco Centros de Recolha Oficial existentes nos Açores, bem como dos canis municipais, trabalho que vai continuar a intensificar-se no futuro, acrescentando que na atual legislatura já foram realizadas 37 ações de controlo a estas estruturas.

“Numa fase inicial, as ações de fiscalização e controlo foram feitas com um sentido de sensibilização para o cumprimento das regras, sendo que agora entramos numa etapa mais exigente, tendo inclusivamente sido levantados quatro autos de contraordenação, que se encontram em fase de instrução”, revelou José Élio Ventura, referindo que as falhas identificadas prendem-se, nomeadamente, com a falta de identificação eletrónica dos animais à guarda dos canis, entre outras.

José Élio Ventura, que enalteceu o trabalho desinteressado e comprometido levado a cabo pelos membros das associações de proteção animal, destacou que a interligação entre o Governo dos Açores, as autarquias e as associações tem permitido alcançar resultados muito positivos no que diz respeito ao cuidado com os animais errantes e abandonados.

“Comparando os dados de 2018 e 2019, o número de entrada de animais nos canis e CRO diminuiu 36%, o número de esterilizações aumentou 35% e as desparasitações 28%, indicadores que são muito positivos e resultam do trabalho conjunto que tem sido realizado contra o abandono e em prol do bem-estar animal nos Açores”, disse José Élio Ventura.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.