Governo do Irão amnistiou 110 "terroristas" arrependidos


 

Lusa / AO online   Internacional   24 de Abr de 2010, 13:08

O Irão amnistiou 110 "terroristas" arrependidos, entre os quais alguns membros do movimento extremista sunita armado Joundallah, disse hoje o governador da província de Sistan-Baluchistão (sudeste) Ali Mohammad Azad.

"Três centenas de terroristas, mostraram-se arrependidos e pediram clemência às autoridades", disse Azad, citado pela agência oficial de notícias IRNA.

"Até agora, 110 dos arrependidos obtiveram uma carta de amnistia e entregaram as suas armas", acrescentou o governador, precisando que um "certo número" de arrependidos pertenciam ao Jundullah.

As autoridades iranianas propuseram dar clemência aos militares do Jundullah que aceitassem entregar as armas, depois de o seu líder, Abdolmalek Righi, ter sido detido em fevereiro.

O movimento Jundullah (Soldados de Deus) foi, segundo as autoridades iranianas, responsável por vários ataques nos últimos anos no sudeste do Irão, onde reside uma grande população sunita, enquanto o país é maioritariamente xiita.

Teerão acusa ainda aquele movimento de ser apoiado pelos serviços de informação paquistaneses, norte-americanos e britânicos para promover a insegurança na região da fronteira com o Paquistão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.