Clima

Gordon Brown quer fundo global no valor de 6,6 mil milhões de euros

Gordon Brown quer fundo global no valor de 6,6 mil milhões de euros

 

Lusa/AO Online   Internacional   27 de Nov de 2009, 19:13

 O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, propôs hoje a criação de um fundo global, no valor de cerca de 6,6 mil milhões de euros, para ajudar os países em desenvolvimento a enfrentarem o aquecimento global.

O anúncio foi feito por Gordon Brown durante a Cimeira da Comunidade Britânica (Commonwealth), que decorre em Trindade e Tobago, e onde os 53 países do bloco estão reunidos para chegar a consenso sobre como reduzir as emissões de gases do efeito estufa e limitar o aquecimento global.

O primeiro-ministro britânico adiantou que o Reino Unido pretende contribuir com 800 mil libras (cerca 880,7 mil euros) para o fundo, que pretende incentivar os países em desenvolvimento a travar a desflorestação, a desenvolver fontes de energia com baixas emissões de dióxido de carbono e ajudá-los a adaptarem-se aos efeitos das alterações climáticas.

A dez dias do início da Cimeira de Copenhaga, em Dezembro, Gordon Brown manifestou-se "optimista" quanto à possibilidade de a comunidade internacional chegar a acordo sobre o sucessor do Protocolo de Quioto, que expira em 2012.

O Presidente francês, Nicolas Sarkozy, também presente na cimeira, manifestou o seu apoio à criação do fundo, salientando a necessidade de o acordo de Copenhaga ser "justo" e prever "acções concretas para ajudar aos países pobres e mais vulneráveis".

Gordon Brown e Nicolas Sarkozy afirmaram ainda esperar que a criação do fundo global conte também com o apoio dos Estados Unidos da América.

Quase metade dos 53 países da Comunidade Britânica é formada por pequenos Estados insulares ameaçados directamente pela subida do nível do mar e por países em desenvolvimento que precisam da ajuda das nações ricas para reduzirem as respectivas emissões de gases com efeito estufa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.