Gabriela Canavilhas integra Governo Regional


 

Lusa/AOonline   Regional   14 de Nov de 2008, 14:19

A pianista Gabriela Canavilhas será a próxima Directora Regional de Cultura dos Açores, um cargo que depende directamente do presidente do governo regional, Carlos César, disse à Lusa fonte oficial.
Gabriela Canavilhas deixa assim o cargo de Presidente da Associação Música Educação Cultura (AMEC), tutela da Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML), que ocupava desde Novembro de 2003.

    Fonte da AMEC adiantou à Lusa que Cesário Costa, actualmente maestro titular da Orquestra do Algarve, será o nome que o Conselho de Fundadores proporá para suceder a Canavilhas.

    Cesário Costa tinha sido já convidado, pela OML, para dirigir a ópera “Jerusalém” cuja estreia está prevista para 2009.

    Gabriela Canavilhas assumiu o cargo num período de grande polémica, após a saída do maestro Miguel Graça Moura, em Novembro de 2003. Na altura, professores e músicos da AMEC levantaram dúvidas relativamente à gestão da entidade, existindo dívidas acumuladas no valor de um milhão de euros.

    A sua eleição resultou de um "braço-de-ferro" entre fundadores e promotores regionais. Canavilhas chegou a demitir-se do cargo, em Junho de 2007.

    Contudo, em Setembro de 2007, os promotores da AMEC chegaram a um acordo de princípio quanto ao saneamento financeiro da instituição e louvaram o trabalho desenvolvido por Gabriela Canavilhas como presidente da direcção, levando a que fosse reconduzida.

    Segundo fonte da AMEC, "os promotores chegaram a um acordo de princípio quanto ao saneamento financeiro da instituição, designadamente para tomar a responsabilidade da parcela financeira que cabia ao Ministério da Ciência e do Ensino Superior [que se retirou do núcleo de patrocinadores], bem como relativamente às dívidas antigas [deixadas pela administração anterior, de Miguel Graça Moura]".

    Esta questão era considerada "essencial" pela pianista para o exercício pleno das suas funções.

    Relativamente às novas funções, em declarações à Lusa, a pianista afirmou: "É uma oportunidade para me dedicar à minha terra".

    De origem açoriana, Gabriela Canavilhas iniciou os estudos musicais no Conservatório Regional de Ponta Delgada, tendo terminado o Curso Superior de Piano no Conservatório Nacional de Lisboa, na classe do professor António Menéres Barbosa.

    Estudou Música de Câmara com Olga Prats, e posteriormente com Riccardo Brengola, na Accademia Musicale Chigiana (Siena, Itália), onde lhe foi atribuído o Diploma de Mérito em Música de Câmara.

    "Cumpri o meu dever e sem dever nada a ninguém", frisou a pianista que não esconde "as muitas dificuldades" que enfrentou e "os obstáculos levantados" que ultrapassou, porque as reformas feitas "eram absolutamente inevitáveis. As dívidas da AMEC estão saneadas e saio com o sentido do dever cumprido. Tenho o meu trabalho feito", sublinhou.

    Relativamente ao novo cargo, que exercerá a partir de 01 de Dezembro, Canavilhas afirmou que pretende "dar mais visibilidade à cultura açoriana e estabelecer mais pontes com Portugal continental".

    "Este novo cargo permitir-me-á alargar estratégias culturais, nomeadamente dedicar-me mais à rede de leitura, bibliotecas, museus e artes de palco, além da música".

    A AMEC integra a Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML), a Orquestra Académica Metropolitana, os Pequeno Violinos, a Academia Nacional Superior de Orquestra e o Conservatório Metropolitano de Lisboa.

    A OML - a sua face mais visível - realiza concertos de Norte a Sul do país e também além-fronteiras, tendo registado na última temporada cerca de 40.000 espectadores em Portugal.

    Augustin Dumay é o actual director artístico da OML.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.