Futuro da TAP reside no Atlântico Sul


 

Lusa/AOonline   Economia   1 de Dez de 2008, 09:45

O presente e o futuro da TAP estão direccionados ao "Atlântico sul" nas ligações da Europa ao Brasil e países africanos de língua portuguesa e não passa pelo Oriente, disse hoje em Macau o administrador da companhia Luiz Mór.
 Em declarações à agência Lusa à margem do congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, Luiz Mór disse que a TAP tem um “posicionamento forte que (a) favorece (que é) na cultura, economia e a geografia de ligar a Europa ao Brasil e à África de língua portuguesa, via Portugal”.

    “Isso faz todo o sentido do ponto de vista da geografia, faz todo o sentido sob o ponto de vista de conhecimento de mercado, de economia”, sublinhou.

    Luiz Mór defendeu que a Ásia “fica longe” para a transportadora portuguesa e por isso a estratégia de desenvolvimento da empresa para a região passa por “intensificar o relacionamento dentro da Star Alliance procurando regimes de code-sharing com as empresas do grupo que pertencem à Ásia”.

    Salientando que o tráfego para o Oriente é centrado no Japão e na China com vantagem para os japoneses, Luiz Mór explicou que o desinteresse da TAP se prende com a ausência de um volume de passageiros que justifique uma ligação a Lisboa.

    “Não é só o avião” que uma empresa do norte da Europa pode utilizar para Hong Kong e que não serviria à TAP, é também o volume de tráfego insuficiente que faz com que a companhia de bandeira de Portugal afaste, para já, um cenário de assumir uma ligação para esta zona do mundo, referiu.

    Luiz Mór afastou também a possibilidade da TAP realizar um voo directo entre o Brasil e África e só admitiu à companhia continuar a ligar estes dois destinos, ou outros, através de Portugal.

    “A TAP une Brasil e África via Lisboa e é provavelmente isso que vamos continuar a fazer. É muito pouco provável que a TAP venha a ligar outros países de forma directa e não através de Portugal”, sustentou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.