Funcionários públicos com baixos salários com "triplo aumento" nos Açores, garante Governo

Funcionários públicos com baixos salários com "triplo aumento" nos Açores, garante Governo

 

Lusa/Ao online   Regional   1 de Nov de 2018, 11:04

Os trabalhadores da função pública dos Açores com vencimentos mais baixos poderão ver triplicar o aumento salarial esperado para 2019, disse esta quarta feira o vice-presidente do Governo Regional na entrega das propostas de Plano e Orçamento no parlamento da região.

"Haverá, para as pessoas com menor rendimento, um potencial triplo aumento de vencimento", sublinhou o governante, explicando que isso será conseguido através do aumento da remuneração complementar, da valorização dos salários mais baixos e do processo de descongelamento das carreiras.

Sérgio Ávila falava aos jornalistas após a entrega à presidente da Assembleia Legislativa Regional, Ana Luís, na cidade da Horta, das propostas de Plano e Orçamento para 2019, que serão discutidas e votadas em plenário (onde o PS tem maioria absoluta), no final de novembro.

O Plano do Governo Regional para o próximo ano prevê um investimento público de 763,3 milhões de euros, mais 10 milhões do que este ano, sendo que 511,7 milhões resultam de verbas próprias (receitas, impostos e transferências do Orçamento de Estado) e 251,6 milhões de euros de fundos comunitários e de outros fundos.

O vice-presidente do Governo refere que, em 2019, haverá um reforço de investimento próprio da região, para compensar a redução dos fundos comunitários, que garante resultarem da "boa execução" que a região tem registado.

"Temos níveis de execução extremamente elevados na sua globalidade e, particularmente, níveis de previsão que se têm vindo a cumprir, quer na componente da receita, quer na componente da despesa, sendo que, por essa via, há uma demonstração clara do rigor destes documentos, que se reforça no próximo ano", realçou o titular da pasta das Finanças no arquipélago.

O Orçamento da Região para 2019 ascende a 1.400 milhões de euros e regista também um aumento de encargos, devido à integração das despesas e dos trabalhadores da SPRHI (Sociedade de Promoção da Reconstrução de Habitação e Infraestruturas, entretanto extinta) na Administração Regional.

"Há um aumento de encargos decorrentes, exclusivamente, dessa matéria: no que concerne aos encargos de financiamento e no que concerne também à consolidação daquilo que era a estrutura da SPRHI, que agora é refletida no Orçamento da região", esclareceu o governante.

Sérgio Ávila destacou também o facto de o Orçamento Regional para 2019 apostar no aumento do rendimento disponível das famílias, no crescimento económico, num aumento do apoio às empresas e no reforço do financiamento do Serviço Regional de Saúde, no valor de 10 milhões de euros.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.