"From the depth of distance" em estreia mundial no Algarve

"From the depth of distance" em estreia mundial no Algarve

 

Lusa/AO online   Cultura e Social   26 de Ago de 2008, 11:30

Primeiro uma igreja, no Algarve, depois um antigo casino, nos Estados Unidos, vão ceder espaço, em dias diferentes, à audição de uma mesma obra musical - "From the depth of distance", do compositor português Luís Tinoco.
    A igreja é a de Ferreiras, na Albufeira. O antigo casino, hoje desactivado como tal mas aberto a novas funções que não as de jogo, fica em Canfield, Saratoga Springs, estado de Nova Iorque.

    Na igreja algarvia, a obra de Luís Tinoco, 39 anos, será interpretada em estreia mundial no dia 19 de Setembro. No Canfield Casino norte-americano no dia 25 do mesmo mês.

    "From the depth of distance" é uma obra para soprano e orquestra sinfónica, sobre o tema "voyages of exploration" (viagens de exploração), para a qual o compositor utilizou fragmentos de poemas de Álvaro de Campos e de Walt Whitman.

    A execução estará a cargo das duas orquestras que, cada uma por seu lado e a seu tempo, encomendaram uma obra ao compositor: a de Albany e a do Algarve.

    Luís Tinoco contou à Lusa como foi: "O convite começou por ser separado. Porém, as duas orquestras pretendiam estrear em datas muito próximas e, na impossibilidade de eu escrever duas peças em simultâneo, optámos por juntar os dois projectos".

    Uma e outra orquestras e respectivos maestros, David Alan Miller e Cesário Costa, já antes tinham trabalhado com o compositor.

    Com a de Albany, Luís Tinoco colaborou anteriormente em projectos e concertos em que Miller dirigiu peças da sua autoria, em Portugal e nos Estados Unidos.

    “Inclusivamente - lembra - em 2004, a Orquestra de Albany encomendou-me outra peça sinfónica ["Tracing the Memory"] que foi estreada em 2005" em várias cidades dos Estados Unidos.

    No caso da Orquestra do Algarve, o convite partiu do seu director artístico, o maestro Cesário Costa, com quem tem "trabalhado regularmente" nos últimos anos.

    Recorda, a propósito, que foi “compositor associado" da Orquestra do Algarve durante a temporada de 2007/ 2008 e refere-se à encomenda da peça como sendo "também um dos resultados” da sua ligação com a orquestra naquele período.

    Para a composição da obra, Luís Tinoco procurou textos que lhe permitissem "uma ligação com as viagens e as explorações dos portugueses, mas que abordassem a ideia de ‘descoberta’ num sentido mais amplo, não apenas nos planos histórico e geográfico".

    Outra preocupação sua foi “criar uma ligação, uma continuidade" com a peça "Search Songs", de 2007, na qual usou poemas do heterónimo inglês de Fernando Pessoa, Alexander Search.

    “Nestes poemas - explica à Lusa - encontrávamos já a busca e a procura, o inconformismo e a insatisfação, a ansiedade e a estranheza, o interrogar os mistérios da existência e do próprio mundo, etc,, que se relacionam também com uma ideia de exploração/viagem interior".

    Voz para "From the depth of distance", Luís Tinoco escolheu a de Ana Quintans, soprano por cujo trebalho afirma ter "uma grande admiração”.

    Os dois estiveram juntos em Janeiro passado em "Evil machines", de Terry Jones, no Teatro São Luiz, num espectáculo que foi êxito de público e de crítica.

    Em "From the depth of distance", Ana Quintans cantará em português e em inglês.

    Será assim na igreja de Ferreiras dia 19 de Setembro, no Canfield Casino dia 25 e, depois, percurso de uma breve digressão pelos Estados Unidos, no Troy Savings Bank Music Hall, de Nova Iorque, dia 26, e no Colonial Theatre de Pittsfield, estado de Massachusetts, dia 27.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.