Finalistas de medicina de Coimbra protestam contra exame final


 

Lusa/AO   Nacional   9 de Set de 2008, 06:15

Os finalistas do curso de Medicina da Universidade de Coimbra vão apresentar-se hoje vestidos de preto no exame final do 6º ano, em luto contra uma prova que consideram “desnecessária e que prejudica os alunos”.
Às 13:00, uma hora antes da prova, os estudantes vão concentrar-se em frente à Faculdade de Medicina para fazer “o luto de um futuro hipotecado”, apresentando-se da mesma maneira no exame.

    Os alunos contestam a realização de uma avaliação teórica num ano de cariz eminentemente prático, tendo boicotado dois exames em Julho, um deles a prova final do 6º ano, exigindo a abolição da mesma, por a considerarem “redundante, excessiva e desnecessária”.

    Em declarações à Lusa, o presidente da comissão de representantes dos alunos do 6º ano de Medicina, Fernando Correia, afirmou que esta prova é “desnecessária, redundante e claramente prejudicial e extemporânea”.

    Segundo o finalista de Medicina, nesta altura “os estudantes deviam estar concentrados no exame geral, a realizar a 20 de Novembro, que dá acesso ao internato médico de especialidade e que vai decidir as suas vidas”.

    “Vamos realizar o exame porque somos compelidos a ir e para evitar que a nota final e a média de curso sejam tão prejudicadas”, sublinhou Fernando Correia.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.