Açoriano Oriental
Fim do petróleo "não deve preocupar excessivamente as pessoas"
O ex-secretário de Estado do Ambiente  e professor da Universidade do Porto, Eduardo Oliveira Fernandes, defendeu hoje que o fim do petróleo “não deve preocupar demasiado” por haver alternativas energéticas.
article.title

Foto: Luiz Baltar
Autor: Lusa/AO Online

Eduardo Oliveira Fernandes foi hoje um dos oradores da II Conferência Internacional do Funchal, promovida pela Câmara Municipal do Funchal, subordinada ao tema “Merecer o Futuro” e que decorre até sábado.

Este professor da Universidade do Porto desenvolveu o tema 'Para Além da Escassez do Petróleo. Encontrar um Caminho para Enfrentar o Inevitável', tendo considerado que a Madeira, enquanto sistema energético isolado, “tem muitos potenciais para o futuro”, diz.

“É uma atitude de governo das cidades, dos sistemas isolados, há muitas soluções aqui, não nos devemos preocupar excessivamente com o fim do petróleo. Haverá soluções de transição só que temos que ser serenos, inteligentes, competentes e responsáveis para preparar, a partir de hoje, o processo de transição que pode ser de 50 anos”, defendeu.

Lembrou que 70 por cento da energia que as pessoas vão consumir no fim deste século será proveniente do sol e das tecnologias solares ou seja “o equivalente ao petróleo de hoje”.

Viriato Soromenho Marques, Adriano Moreira, Virginio Bettini, entre outros, são participantes desta II Conferência que visa, segundo o vereador Pedro Calado, responsável pela área económica da autarquia, “preparar a cidade para os desafios futuros, que começaram já ontem”.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.