Fim do petróleo "não deve preocupar excessivamente as pessoas"

 Fim do petróleo "não deve preocupar excessivamente as pessoas"

 

Lusa/AO Online   Economia   6 de Nov de 2009, 17:05

O ex-secretário de Estado do Ambiente  e professor da Universidade do Porto, Eduardo Oliveira Fernandes, defendeu hoje que o fim do petróleo “não deve preocupar demasiado” por haver alternativas energéticas.

Eduardo Oliveira Fernandes foi hoje um dos oradores da II Conferência Internacional do Funchal, promovida pela Câmara Municipal do Funchal, subordinada ao tema “Merecer o Futuro” e que decorre até sábado.

Este professor da Universidade do Porto desenvolveu o tema 'Para Além da Escassez do Petróleo. Encontrar um Caminho para Enfrentar o Inevitável', tendo considerado que a Madeira, enquanto sistema energético isolado, “tem muitos potenciais para o futuro”, diz.

“É uma atitude de governo das cidades, dos sistemas isolados, há muitas soluções aqui, não nos devemos preocupar excessivamente com o fim do petróleo. Haverá soluções de transição só que temos que ser serenos, inteligentes, competentes e responsáveis para preparar, a partir de hoje, o processo de transição que pode ser de 50 anos”, defendeu.

Lembrou que 70 por cento da energia que as pessoas vão consumir no fim deste século será proveniente do sol e das tecnologias solares ou seja “o equivalente ao petróleo de hoje”.

Viriato Soromenho Marques, Adriano Moreira, Virginio Bettini, entre outros, são participantes desta II Conferência que visa, segundo o vereador Pedro Calado, responsável pela área económica da autarquia, “preparar a cidade para os desafios futuros, que começaram já ontem”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.