Federer imparável e Djokovic afastado do Open da Austrália

Federer imparável e Djokovic afastado do Open da Austrália

 

Lusa/AO online   Outras modalidades   22 de Jan de 2018, 14:29

O tenista sérvio Novak Djokovic, seis vezes vencedor do Open da Austrália, foi esta segunda-feira eliminado nos oitavos de final, num dia em que o suíço Roger Federer, detentor do troféu, prosseguiu a sua, até agora, imparável caminhada.

Único tenista que ainda não cedeu qualquer ‘set’ nesta edição do Open da Austrália, Federer voltou a passar com distinção mais uma ronda, afastando o húngaro Marton Fucsovics, 80.º do ‘ranking’, por 6-4, 7-6 (7-3) e 6-2, em duas horas e um minuto.

Federer, que jogou pela primeira vez durante o dia em Melbourne este ano, apurou-se pela 14.ª vez para os quartos de final do primeiro ‘major’ do ano, após eliminar um tenista com quem costuma treinar.

“Tive alguma dificuldade até estar a vencer por dois ‘sets’ a zero. Só aí comecei a sentir: ok, agora tenho o vento nas minhas costas e posso caminhar para a vitória. Mas até aí foi difícil”, assumiu o suíço, recordista de títulos em torneios do ‘Grand Slam’, com 19 troféus.

Nos quartos de final, Federer vai encontrar o checo Thomas Berdych, 19.º cabeça de série e que hoje afastou o italiano Fabio Fognini, 25.º, por 6-1, 6-4 e 6-4.

Este será o 26.º encontro entre o suíço e o checo, com Federer a levar clara vantagem, com 19 vitórias e seis derrotas. Pelo terceiro ano consecutivo, encontram-se em Melbourne, onde o número dois mundial venceu os quatro confrontos entre ambos.

Sem competir desde Wimbledon, em julho de 2017, devido a um problema no cotovelo, Djokovic, atualmente no 14.º lugar da hierarquia mundial, foi eliminado pelo sul-coreano Hyeon Chung, 59.º do ‘ranking’, por 7-6 (7-4), 7-5 e 7-6 (7-3), em três horas e 22 minutos.

Os dois tenistas só se tinham encontrado uma vez na carreira, também no Open da Austrália, em 2016, com vitória para o sérvio, num ano em que viria a conquistar o seu sexto título em Melbourne.

“Não sei como ganhei hoje. Estou orgulhoso por ter voltado a jogar com o Novak e feliz por voltar a vê-lo no circuito. Quando era jovem, eu tentava imitar o Novak, porque ele era o meu ídolo”, afirmou Chung.

Para Chung, esta está a ser a sua melhor prestação num ‘major’, uma vez que apenas tinha chegado uma vez à terceira ronda, em Roland Garros no último ano.

O norte-americano Tennys Sandgren, 97.º do mundo, e próximo adversário de Chung, também está a ter um Open da Austrália de sonho, depois de afastar o austríaco Dominic Thiem, quinto cabeça de série, por 6-2, 4-6, 7-6 (7-4), 6-7 (7-9) e 6-3, ao fim de três horas e 54 minutos.

Na segunda ronda, Sandgren, que nunca tinha passado da primeira ronda num ‘major’, já tinha protagonizado uma grande surpresa, ao vencer o suíço Stanislas Wawrinka, vencedor do Open da Austrália em 2014.

No quadro feminino, a número 1 mundial, a romena Simona Halep, afastou, em 79 minutos, a japonesa Naomi Osaka, 72.º da hierarquia, por 6-3 e 6-2.

Halep, que nunca passou dos quartos de final em Melbourne, procura ainda o seu primeiro título de um ‘major’ e vai defrontar na próxima ronda a checa Karolina Pliskova, sexta cabeça de série, que superou a compatriota Barbora Strycova, 20.ª, por 6-7 (5-7), 6-3 e 6-2.

A alemã Angelique Kerber, vencedora do Open da Austrália e do Open dos Estados Unidos em 2016, também se apurou para os quartos de final, ao afastar Su-Wei Hsieh, 88.ª do ‘ranking’, por 4-6, 7-5 e 6-2.

A 21.ª cabeça de série vai agora defrontar a norte-americana Madison Keys, 17.ª pré-designada e finalista do último Open dos Estados Unidos, que eliminou a francesa Caroline Garcia, oitava, por 6-3 e 6-2.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.