Saúde

Falta de vacinação causa morte de 54 crianças por hora de doença pneumocócica

Falta de vacinação causa morte de 54 crianças por hora de doença pneumocócica

 

Lusa/AO online   Nacional   6 de Nov de 2012, 15:27

A cada hora que passa morrem 54 crianças, com menos de cinco anos, de doença pneumocócica, uma doença que pode ser evitada através da vacinação, alertou hoje a Sociedade Portuguesa de Pediatria.

A menos de uma semana do Dia Mundial da Pneumonia, a Sociedade de Infeciologia Pediátrica/Sociedade Portuguesa de Pediatria alerta hoje pais, familiares e educadores, para a importância da vacinação das crianças até aos cinco anos, por ser a principal forma de prevenir a doença pneumocócica.

Segundo dados do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), esta doença é responsável por cerca de três milhões de mortes, por ano, a nível mundial. Só em 2008, segundo a Organização Mundial de Saúde, morreram 476 mil crianças, com menos de cinco anos, em todo o mundo.

A doença pneumocócica, causada pelo Streptococcus pneumoniae, tem múltiplas formas, incluindo pneumonia, meningite, otite média aguda e bactériemia.

Uma das principais doenças provocadas por esta bactéria é a pneumonia, "cujas manifestações clínicas e a gravidade variam conforme a idade e o agente causador", lê-se no comunicado da sociedade.

Os sintomas podem incluir febre alta, tosse com expectoração purulenta, prostação, fadiga, dor torácica e, nos casos mais graves, dificuldade respiratória, podendo mesmo provocar a morte.

“É fundamental cumprir o esquema completo de vacinação, que consiste em quatro doses, administradas nos primeiros 15 meses de vida. Às crianças com idades compreendidas entre os 2 e os 5 anos de idade, que não tenham sido imunizadas com esta vacina, poderá ser administrada 1 dose para conferir proteção contra os serotipos incluídos na mesma”, alerta a sociedade em comunicado enviado à agência Lusa.

A doença pneumocócica, que engloba a pneumonia, pode ser contagiosa, através de secreções respiratórias (como, por exemplo, a tosse ou espirros), colocando em risco os doentes e todos os que possam estar em contacto com quem tem a doença.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.