São Miguel

Especialistas internacionais reúnem para estudar microrganismos

Especialistas internacionais reúnem  para estudar microrganismos

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Mar de 2009, 14:55

Especialistas internacionais reúnem-se em Setembro do próximo ano em São Miguel para darem a conhecer os últimos desenvolvimentos científicos no estudo dos Extremófilos, microrganismos adaptados a ambientes muito agrestes e com potencial para fabrico de medicamentos.

Na apresentação do evento, Helena Santos, vice-presidente da Sociedade Internacional de Extremófilos, justificou que os Açores constituem "um local ideal" para acolher o congresso, já que em São Miguel foram isolados muitos microrganismos "fascinantes", nomeadamente na Ribeira Quente, Ferraria e Furnas.

Segundo Helena Santos, o congresso internacional vai permitir assim conciliar sessões científicas com visitas a campos geotermais, perspectivando a presença de conferencistas da América, Ásia, Austrália e Europa.

O primeiro congresso internacional de extremófilos decorreu em 1996, em Portugal, e desde então de dois em dois anos têm sido realizados eventos em vários países, como o Japão, Alemanha, Itália, EUA, França e África do Sul.

Helena Santos disse que o encontro de São Miguel vai decorrer entre 12 a 16 de Setembro de 2010, para "divulgar os últimos desenvolvimentos científicos" na área.

"Tratam-se de organismos adaptados a ambientes com condições muito agrestes, muito interessantes em termos evolutivos, que produzem enzimas robustas", explicou a professora, a propósito do potencial daqueles microorganismos para aplicações industriais.

O secretário regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos sublinhou a importância da realização do evento nos Açores, por se tratarem de "seres com grandes potencialidades e que não estão aproveitadas na região".

"O departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores já iniciou algumas investigações junto das fontes termais, mas trata-se de abrir os Açores a uma sociedade que trata especificamente destas questões, que pode trazer novos contributos à ciência e ao conhecimento", frisou José Contente.

O governante lembrou ainda "a aposta" do Executivo regional nas áreas da Ciência e Tecnologia, sectores que disse que vão ter "um aumento de investimento na ordem dos 16 por cento" no Plano do Governo regional para 2009.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.