Erro precipita derrota do FC Porto no jogo de apresentação

Erro precipita derrota do FC Porto no jogo de apresentação

 

Lusa/Ao online   Futebol   27 de Jul de 2019, 21:34

O FC Porto, da I Liga portuguesa de futebol, perdeu este sábado por 1-0 frente ao Mónaco, da liga francesa, retirando algum brilho à festa de apresentação dos ‘dragões' aos associados para a época 2019/20.

Um golo do português Gelson Martins, aos 23 minutos, na sequência de um erro defensivo dos ‘azuis e brancos', acabou por desequilibrar um ensaio, que, sobretudo na primeira parte, evidenciou alguma falta ritmo da equipa portista.

Os nortenhos ainda conseguiram uma reação na segunda metade, melhorando com a entrada dos reforços Nakajima, Zé Luís, Saravia e Fábio Silva, mas insuficiente para bater um Mónaco, que geriu o jogo com astúcia.

Perante o adversário teoricamente mais exigente desta pré-temporada, o técnico Sérgio Conceição escalonou um ‘onze' comandado pelo capitão Danilo, em que o reforço colombiano Luís Diáz foi um dos principais destaques, assim como a surpresa na titularidade do jovem Romário Baró, promovido dos escalões de formação.

Apesar da restante equipa conhecer bem as ideias do técnico, a verdade é que a formação ‘azul e branca' entrou algo inconsequente na partida e mesmo mostrando alguns pormenores individuais interessantes, pecava na consistência.

Romário Baró, aos 11 minutos, num cabeceamento, após cruzamento de Alex Telles, ainda tentou disfarçar essa pecha, mas, pouco depois, uma atrapalhação entre Soares e Luís Diáz, evidenciou algumas carências no entrosamento.

O Mónaco, comando por Leonardo Jardim, e com o internacional português Gelson Martins como titular, não fez melhor neste primeiro tempo, mas controlando as movimentações do adversário, revelou-se astuto a aproveitar um erro dos ‘dragões' para inaugurar o marcador.

Pepe não conseguiu controlar um passe de um companheiro e acabou por perder a bola para o brasileiro Boschilia, que descortinou a desmarcação de Gelson Martins, que se isolou para assinar o 1-0, aos 23 minutos.

Só depois do golo sofrido, os portistas imprimiram mais velocidade ao jogo, mas apenas num cabeceamento de Pepe, que saiu um pouco lado, após cruzamento de Alex Telles, mostraram capacidade para chegar ao empate.

No regresso do intervalo, Sérgio Conceição apostou no mesmo ‘onze', embora jogando os primeiros minutos da etapa complementar com 10 elementos, porque Marcano chegou mais tarde ao relvado, por estar a ser assistido pela equipa médica, e árbitro Artur Soares Dias não esperou pelo espanhol para dar ordem de reatamento.

Aos 62, e já com os reforços Nakajima e Zé Luís em campo, o FC Porto teve uma soberana oportunidade para resgatar a igualdade, na sequência de uma grande penalidade, a punir um empurrão de Panzo a Corona, mas que, na cobrança, Alex Telles permitiu a defesa ao guarda-redes do Mónaco.

O lance ainda assim, serviu para galvanizar os ‘dragões', que perante um Mónaco na expectativa, conseguiu imprimir mais rotação ao seu futebol, melhorando com a entrada da Fábio Silva e Saravia, aos 74.

Estes dois jogadores estiveram, pouco depois, na génese de mais uma flagrante oportunidade de golo da equipa nortenha, com o reforço argentino aproveitar o trabalho de Fábio Silva, para cruzar, mas Otávio, com a baliza à mercê, não conseguiu o desvio.

Até ao final, os ‘dragões' não esmoreceram na procura do golo que pudesse dar mais brilho à sua festa de apresentação, e já no tempo de compensação tiveram mais duas soberanas oportunidades.

Primeiro, com Zé Luís a cabecear para defesa do guardião monegasco e, pouco depois, com Fábio Silva a imitar o movimento, mas com a bola ser devolvida pelo poste, mantendo-se a vantagem mínima da equipa do campeonato francês até ao final.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.