Açoriano Oriental
Covid-19
Enfermeiros nos Açores alertam para racionamento "excessivo" de meios

A Ordem dos Enfermeiros nos Açores alertou para a necessidade de "não racionar de uma forma excessiva" a quantidade de material, lembrando que o cenário "muda todos os dias" devido à pandemia da covid-19.

article.title

Foto: Ordem dos Enfermeiros
Autor: Lusa/AO Online

"Há limitação de material e nós compreendemos, mas por outro lado tem de haver material em quantidade na frente da linha. E esse enquadramento entre a tutela e as instituições necessita de ser revisto", afirmou o presidente da secção regional da Ordem dos Enfermeiros, Pedro Soares, em declarações à agência Lusa.

Para o responsável, na atual fase nos Açores da pandemia, o reforço de 20%, determinado pela Secretaria Regional da Saúde, dos 'stocks' de medicamentos, dispositivos médicos e equipamentos de proteção individual "ajuda", mas este "é um cenário que todos os dias muda".

"No atual cenário, os enfermeiros nos Açores têm estado em número certo e suficiente, mas temo que comece a aparecer desgaste e cansaço. É preciso começar a pensar um pouco nisso", apontou.

Pedro Soares referiu que "pontualmente" têm chegado "algumas denuncias e alguns pedidos de que o material está a ser distribuído em muito pouca quantidade".

"E é para isso que estamos a tentar trabalhar com a tutela para que isso não aconteça e que seja corrigido", sublinhou, frisando que é preciso precaver "o quanto antes a saúde" dos profissionais, até porque "um enfermeiro doente é menos um na frente de batalha".

A secção regional da Ordem dos Enfermeiros está ainda "preocupada" com os recursos humanos e materiais na área das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).

"Temos estado a trabalhar com eles. Nos Açores, muitas destas instituições têm o seu corpo de enfermagem com meios que fazem 'part-time' nestas instituições. Mas agora estes enfermeiros foram chamados às suas instituições base", explicou Pedro Soares, realçando, no entanto, que existem "algumas instituições de solidariedade que estão bem apetrechadas de material", enquanto "outras estão a tentar o mais rapidamente possível se apetrechar".

Quanto ao número de profissionais de enfermagem nos Açores, o responsável afirmou que "para já o número que existe dá para o gasto".

"Temos que pensar num futuro próximo e foi por isso que a Ordem criou uma bolsa de enfermeiros de retaguarda que estão disponíveis para serem alocados pela Secretaria Regional da Saúde quando forem necessários ao nível do arquipélago. Esta bolsa tem 161 enfermeiros e já foi criada também uma equipa de 55 enfermeiros, que foi toda entregue à linha Saúde Açores. E sabemos que alguns deles já estão a ser integrados", adiantou.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.