Economia

Empresas têm que se redimensionar para enfrentar a crise

Empresas têm que se redimensionar para enfrentar a crise

 

Lusa/AO online   Regional   10 de Nov de 2011, 15:22

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada alertou os empresários açorianos para a necessidade de “redimensionar” as empresas, o que pode significar reduzir a sua dimensão em “termos de investimento, equipamentos e de pessoal”.
“Estamos perante uma situação estrutural e os empresários não podem fazer de conta de que isto não está a acontecer, não podem pensar que a retoma vai ser já amanhã, têm que olhar para as suas empresas e redimensioná-las face à nova realidade”, afirmou Mário Fortuna, em declarações aos jornalistas depois de uma reunião com deputados regionais do PSD/Açores.

Para Mário Fortuna, as indicações disponíveis revelam que estamos perante um processo de ajustamento que se arrasta há três anos e que se prevê possa prolongar-se por mais quatro, sendo “bom que os empresários vejam isso desta forma e actuem em conformidade”.

Questionado sobre as críticas feitas pelo presidente do Governo Regional sobre os alegados efeitos negativos na economia das declarações feitas por dirigentes empresariais, Mário Fortuna frisou que “em tempo de crise, é importante que se ouça o que têm para dizer os empresários, porque quando falam e protestam têm boas razões”.

"Os empresários funcionam num contexto que é diferente do contexto do sector público, tendo que combater todos os dias no mercado para conseguir sobreviver. Não podem aplicar impostos, têm é que vender e por essa via equilibrar as contas", afirmou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.