Efacec investe 80 milhões de euros nos EUA

Efacec investe 80 milhões de euros nos EUA

 

Lusa / AO online   Economia   5 de Nov de 2007, 10:27

 O maior grupo eléctrico português Efacec arranca no início de 2008 com a construção de uma fábrica de transformadores de grande potência em Effingham (Geórgia), EUA, representando um investimento de 80 milhões de euros e 600 novos empregos.
"Vamos arrancar com a produção em 2009/2010 [1ª fase] e atingiremos a velocidade de cruzeiro em 2012. A 2ª fase deverá ficar concluída em 2015", explicou a agência Lusa o presidente executivo da Efacec, Luís Filipe Pereira, em Atlanta, onde vai assinar o contrato para a construção da fábrica.
A cerimónia vai decorrer no Capitólio com a presença do secretário de Estado da Economia e Inovação português, Castro Guerra, o governador, senadores e outras autoridades norte-americanas daquele Estado.
A nova unidade industrial vai ser implantada numa área de 70 hectares e terá duas fases: a primeira ronda um investimento de 46 milhões de euros (cerca de 65 milhões de dólares), criando 400 postos de trabalho e uma capacidade de 10 mil Mva (medida para os níveis de tensão).
A segunda fase elevará o investimento para os 80 milhões de euros (100 milhões de dólares) e para 600 o número de novos empregos, dobrando a capacidade para os 20 mil Mva.
"Vamos aumentando à medida que o mercado se for expandindo. Sabemos que este mercado [EUA] vai ter uma grande procura e por mais de uma década", explicou Luís Filipe Pereira.
Entre muitas outras vantagens, sublinhou o presidente executivo, este investimento nos EUA torna a empresa mais competitiva uma vez que permite "reduzir os custos de transporte", que actualmente representam 15 a 17 por cento de custos para o cliente.
"Por outro lado, é cada vez mais difícil exportar em euros, devido à sua valorização. Ao termos aqui a produção, os custos também serão em dólares", referiu Luís Filipe Pereira.
Um dos aspectos mais significativos para o gestor diz respeito ao facto de a formação de "uma parte significativa do pessoal norte-americano ser realizada em Portugal".
Segundo Luís Filipe Pereira, a nova unidade será construída de raiz em Effingham, após um processo de selecção de eventuais localizações que privilegiava os locais com mão-de-obra mais competitiva, facilidade de recrutamento, acesso fácil a um porto atlântico (neste caso foi Savana), boas ligações internas ferroviárias, incentivos e "longe dos furacões".
Como contrapartida deste investimento nos EUA, o grupo português recebeu das autoridades norte-americanas "um terreno gratuito, assim como um ramal ferroviário também gratuito", alem de benefícios fiscais e incentivos monetários para a formação de trabalhadores, pelo Estado da Geórgia, e especialistas, pela universidade da Georgia Technology.
"Do Estado da Geórgia recebemos 2,7 milhões de dólares para pagamento de facturas relativas a construção da fábrica, do município recebemos 1,5 milhões de dólares", acrescentou o presidente da Efacec.
Quanto às vendas de transformadores, Luís Filipe Pereira prevê valores na ordem dos 145 milhões de dólares em 2012 e de 286 milhões de dólares em 2015.
"Este é um investimento de grande importância. Pretendemos consolidar o mercado como os nossos clientes - as maiores 'utilities' de Energia dos EUA - como a Nevada Power, a Florida Power, a Pacific Gas (entre outras) e visamos 30 novos clientes: 10 nos próximos 2/3 anos e 20 a longo prazo", revelou o presidente executivo da Efacec, adiantando que os dois maiores concorrentes da empresa portuguesa são a Siemens e a ABB.
A construção da nova fábrica insere-se na grande aposta da Efacec no crescimento em mercados externos, sobretudo nos EUA, que considera um "mercado prioritário" e um dos seus "mais exigentes e importantes".
Durante este ano, a Efacec comprou ainda nos EUA, em Atlanta, a empresa de engenharia ACS - Advanced Control Systems, que juntamente com a unidade de automação da Efacec em Portugal, atingirá um volume de negócios de cerca de 50 milhões de dólares.
A ACS fornece soluções inteligentes de automação industrial para a área da energia, garantindo, segundo a empresa, "a vanguarda na evolução da gestão e distribuição de energia".
No âmbito da sua estratégia de internacionalização, a Efacec realizou também um investimento de 2 milhões de euros na Argentina com a nova unidade industrial da Bauen Efacec para o fabrico de equipamento de equipamento de média tensão que inaugurou em Julho deste ano.
Também este ano, a Efacec ganhou, entre outras, duas importantes encomendas.
Em Outubro, alcançou o seu maior contrato de sempre, num valor base 146 milhões de euros para a construção de três centrais a carvão no Maranhão (um grupo de 350 Megawatts) e no Pecém/Ceará (2 grupos de 359 Megawatts) no Brasil.
No segundo trimestre, a Efacec ganhou o projecto do Metro Ligeiro de Dublin, numa extensão de 7,5 quilómetros e 11 estações, representando um investimento de cerca de 30 milhões de euros, que, segundo fonte da empresa, pode chegar aos 100 milhões de euros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.