EDA Renováveis quer subir produção de energia de fontes renováveis nos Açores

EDA Renováveis quer subir produção de energia de fontes renováveis nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   30 de Mai de 2018, 06:36

O administrador da EDA Renováveis Carlos Bicudo adiantou que a empresa de eletricidade dos Açores pretende aumentar de 37% para 63% a produção de energia através de fontes renováveis no arquipélago até 2025.

"Em 2025, propomo-nos atingir a penetração renovável de 57%, o que, conjugado com a produção endógena, através da valorização energética dos resíduos, atinge os 63%, que é uma meta muito ambiciosa", adiantou Carlos Bicudo.

Segundo o mesmo responsável pela EDA Renováveis, é sobretudo "através das centrais geotérmicas" existentes no concelho da Ribeira Grande, na ilha de são Miguel, que essa energia é produzida, garantindo "um terço das necessidades energéticas na Região".

Carlos Bicudo lembrou que o incremento da produção de energia através de fontes renováveis será feito depois de alguns "projetos de aproveitamento de energias renováveis" previstos para as ilhas de São Miguel, Terceira e Flores.

"Aqui nos Açores, o que está previsto a nível, por exemplo, de São Miguel é expandir a atual central do Pico Vermelho por mais cinco megawatts, a antiga Central da Ribeira Grande saturar por mais três megawatts, o que para tal impõe que numa primeira fase sejam executados poços geotérmicos profundos, também na Terceira está prevista a expansão da atual central em exploração por mais sete megawatts, assim como também nas Flores mais uma nova hidroelétrica de cinco megawatts", avançou.

Carlos Bicudo falava aos jornalistas sobre os projetos da EDA Renováveis para a redução da "dependência dos derivados do petróleo na Região" na sequência de uma apresentação sobre o "Panorama das energias renováveis nos Açores", na Feira Regional de Eficiência Energética, que decorreu esta terça-feira na Ribeira Grande.

Na ocasião, a diretora regional da Energia dos Açores que participou num debate sobre mobilidade elétrica anunciou que o Governo Regional dos Açores pretende criar ainda este ano um sistema de incentivos para aquisição de veículos elétricos na Região.

"Há uma comparticipação de uma parte para a aquisição de um veículo 100% elétrico para particulares, numa primeira fase. Será à semelhança do [apoio] nacional, são os 2.250 euros por veículo, portanto os primeiros mil veículos têm acesso ao incentivo", disse Andreia Carreiro.

A mesma responsável admitiu que nos Açores existe apenas um posto de carregamento elétrico publico que partiu "de uma iniciativa privada", em Ponta Delgada, sendo que está a decorrer "um concurso" para a instalação de "26 pontos de carregamento rápido".

"Os 26 postos que estão a concurso, neste momento, têm uma abrangência regional para todos os concelhos da Região Autónoma dos Açores, neste momento o concurso está a decorrer e termina no início de Julho", disse.

Andreia Carreira disse que na Região ainda existe "alguma resistência" para a compra de carros elétricos devido "à falta de infraestruturas de carregamento, ao custo inicial do veículo, que é bastante mais caro, e à falta de conhecimento".

Nos Açores existem "cerca de uma centena" de carros elétricos em circulação, sendo que a maioria são pertencentes a "empresas, municípios ou ao Governo Regional".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.