“É uma honra ser cabeça de cartaz do Azores Burning Summer”

“É uma honra ser cabeça de cartaz do Azores Burning Summer”

 

Carolina Moreira   Cultura e Social   29 de Ago de 2019, 10:00

Salvador Sobral, artista atua no próximo sábado, dia 31 de agosto, no Festival Azores Burning Summer, no Porto Formoso, e afirma que “improvisação” é a palavra de ordem.

Apesar de não ser a primeira vez que dá um concerto nos Açores, trata-se da primeira em contexto de festival. O que é que o público pode esperar do seu espetáculo no Azores Burning Summer?

Todos os concertos são uma surpresa e há sempre muita espontaneidade por parte do quarteto em palco. As palavras de ordem são improvisação, comunicação e espontaneidade. Pode haver gritos, choros, sons eróticos e sexuais, tudo pode acontecer.

O que acha do facto de ser um dos cabeças de cartaz de um festival de verão?
É muito positivo, é bom saber que as pessoas ainda gostam de me ouvir, mas estas coisas estão sempre a mudar, amanhã já ninguém se lembra e eu tenho de estar pronto para esse dia. Mas, felizmente, agora as pessoas gostam e ser cabeça de cartaz é sempre uma honra.


Pode ler a entrevista na íntegra na edição desta quinta-feira, 29 agosto 2019, do jornal Açoriano Oriental





Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.