Dois franceses acusados de matar compatriota no Algarve começam hoje a ser julgados


 

Lusa/ AO   Nacional   24 de Out de 2007, 12:52

Os franceses Corinne Gaspar e Thierry Beille, meio-irmão, acusados de matar em 2006 ao largo do Algarve o navegador francês André Le Floch no veleiro Intermezzo, começam hoje à tarde a ser julgados no Tribunal de Lagos.
O Ministério Público, a 09 de Julho, acusou Corinne e Thierry de roubo, homicídio qualificado, profanação e ocultação de cadáver, sendo referido no despacho de acusação que o fizeram com "perversidade".

    O corpo de André Le Foch, proprietário do veleiro Intermezzo, foi recuperado de um dos cascos do trimarã e estava atado e com um cinto de chumbos à cintura.

    Os dois meio-irmãos, quando foram detidos, após o naufrágio da embarcação Intermezzo ao largo da costa oeste do Algarve e posterior salvamento por um helicóptero da Força Aérea, admitiram ter atado o tripulante, depois de André Le Floch ter supostamente tentado violar Corine Gaspar, de 48 anos.

    Detidos desde Agosto de 2006, os franceses são suspeitos de terem planeado e morto André Le Floch, dias depois de terem embarcado a seu convite no trimarã Intermezzo para um passeio pela costa Sul de Portugal.

    Os detidos estão nas prisões de Odemira (feminina) e de Faro.

    O advogado dos dois franceses, António Vilar, disse à Lusa que a acusação do Ministério Público é "incipiente e frágil", sublinhando que "não passa de uma tese".

    "Pensava que estava ali uma obra-prima, forte e impossível de desmontar, mas, afinal, a acusação é incipiente e frágil", considerou o advogado, referindo, todavia, que não será fácil desmontar a acusação, devido ao facto de a defesa não ter tido acesso ao processo na fase de instrução.

    Os crimes de que os dois meio-irmãos, actualmente em prisão preventiva, são acusados são puníveis com uma pena de prisão até 25 anos.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.