Doentes oncológicos vão continuar a receber tratamentos


 

Lusa/ AO   Nacional   9 de Out de 2007, 09:14

Os doentes oncológicos que são seguidos no Hospital de Cascais vão continuar a ser acompanhados, apesar desta unidade não possuir a valência de Oncologia Médica, tal como acontecerá com o futuro hospital, esclareceu hoje o Ministério da Saúde.
Numa nota à comunicação social, o Ministério da Saúde adianta que na "transição" para o futuro hospital de Cascais "não se pretende quebrar a relação com os doentes (…), pelo que os doentes oncológicos que têm vindo a ser tratados no hospital de Cascais devem continuar aí a ser assistidos".

    De acordo com fonte do gabinete de imprensa do Ministério, é necessário esclarecer que não vai acabar a assistência aos doentes oncológicos, tal como tem acontecido até agora.

    A mesma fonte esclareceu, contudo, que tal como o actual hospital, o futuro também não terá a valência de Oncologia Médica.

    No comunicado, o Ministério justifica que para um hospital ter esta valência tem de servir uma população de cerca de 300 mil habitantes, o que não sucede com Cascais, que tem apenas 175 mil.

    Fonte do ministério acrescentou que os doentes oncológicos afectos ao hospital de Cascais devem ser encaminhados para os hospitais oncológicos de referência, apesar de poderem receber alguns tratamentos no hospital da área.

    No comunicado, o Ministério adianta que se disponibilizou para esclarecer a câmara num reunião conjunta que terá lugar no dia 25 de Outubro.

    Entretanto, mais de 10 mil pessoas assinaram uma petição contra a falta de serviços de oncologia no futuro Hospital de Cascais e utentes e familiares deverão realizar quarta-feira uma marcha de protesto silenciosa.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.