Direito à privacidade deve prevalecer sobre direito à informação


 

Lusa / AO online   Nacional   28 de Out de 2009, 14:10

O presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR) defendeu que o direito à informação e o direito à privacidade dos menores e suas famílias não são incompatíveis, desde que se respeitem os limites.
"São dois direitos fundamentais, mas há situações em que tem de se procurar uma concordância prática. Por vezes, o direito à informação tem de ceder face ao direito à identidade, imagem e a privacidade da criança", defendeu Armando Leandro, em declarações à agência Lusa.

O presidente da CNPCJR falava a propósito de um seminário sobre "A cultura da infância numa sociedade democrática: contributos e responsabilidades. A mais valia da informação/comunicação", que se realiza quinta-feira, no Porto.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.