Deputados do PSD questionam Governo sobre diligências para travar redução dos EUA

Deputados do PSD questionam Governo sobre diligências para travar redução dos EUA

 

Lusa/AO online   Regional   7 de Nov de 2013, 16:04

Os deputados do PSD eleitos pelos Açores questionaram o Ministério dos Negócios Estrangeiros sobre que medidas foram desenvolvidas para travar a redução militar norte-americana na Base das Lajes.

Mota Amaral, Joaquim Ponte e Lídia Bulcão questionam, num requerimento, “que diligências tem feito o Governo, diretamente em diálogo pessoal com os seus homólogos norte-americanos, tendo em vista travar a redução do contingente militar na Base das Lajes”.

Os deputados querem saber se ”foram dadas instruções à embaixada de Portugal em Washington para promover contactos com o mesmo objetivo”.

“Que diligências concretamente foram feitas a partir da nossa embaixada e quais os resultados obtidos? Deu o Governo instruções precisas para que a nossa embaixada apoie e secunde as diligências políticas promovidas diretamente pelas entidades açorianas, do Governo Regional e da oposição?”, questionam.

Os social-democratas pretendem ainda saber, na sequência da diminuição do número de familiares dos militares norte-americanos na Terceira, que “novas providências tenciona o Governo adotar para promover um objetivo de óbvia relevância nacional”.

Mota Amaral, Joaquim Ponte e Lídia Bulcão reiteram que a redução do contingente dos EUA nas Lajes “terá efeitos económicos muito negativos nos Açores”, em especial na ilha Terceira, “reduzindo empregos e sufocando a economia local”.

“As forças políticas açorianas, tanto o Governo Regional socialista como a oposição, com destaque para o PSD/Açores e o seu líder, Duarte Freitas, estão a mover influências junto das entidades norte-americanas para tentar travar a anunciada medida”, referem os deputados à Assembleia da República.

Mota Amaral, Joaquim Ponte e Lídia Bulcão referem que “diligências açorianas” junto do Congresso dos EUA “levaram à aprovação pela Câmara dos Representantes de uma regra que proíbe à administração usar fundos do orçamento para proceder à dita redução, até que toda a presença militar americana na Europa seja objeto de reavaliação”.

Os deputados recordam que “novas diligências estão em curso para que no Senado seja aprovada regra idêntica”.

“O Grupo Parlamentar de Amizade Portugal - EUA tem apoiado todos estes procedimentos, contactando o grupo homólogo do Congresso federal norte-americano. Importa apurar o que tem feito e tenciona fazer o Governo para alcançar um objetivo que tem inegável relevância nacional”, afirmam, no mesmo requerimento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.