Ambiente

Crocodilo marinho gigante capturado no sul das Filipinas


 

Lusa/AO online   Internacional   6 de Set de 2011, 15:52

Um crocodilo marinho gigante com mais de seis metros de comprimento, suspeito de ter atacado pessoas e gado, foi capturado no sul das Filipinas, anunciaram as autoridades locais.
O réptil, que pesa 1.075 quilos e mede 6,4 metros, terá matado um agricultor em Julho e devorado búfalos, perto da vila de Bunawan, na ilha de Mindanao, indicou o caçador de crocodilos Rollie Suiller.

O Ministério do Ambiente também atribuiu ao animal agora capturado a morte de uma rapariga de 12 anos, em 2009.

O animal é um dos maiores já capturados, afirmou Josefina de Leon, chefe da divisão de fauna e flora selvagens do Ministério.

“Segundo informações recolhidas, até ao presente momento, o maior crocodilo capturado tinha 5,48 metros de comprimento”, disse.

O crocodilo é um macho de mais de 50 anos, segundo Rollie Sumiller.

“É o maior que já capturei em 20 anos de carreira”, sublinhou o caçador.

Segundo o Guinness Book, o maior crocodilo marinho em cativeiro é um espécime de 5,40 metros, Cassius, que está num parque natural perto de Cairns (nordeste da Austrália).

A imprensa também divulgou informações sobre um animal de 6,2 metros, capturado e morto na Papua Nova Guine, em 1982, tendo sido medido depois de a pele ter sido retirada.

“A população local está aliviada. Entretanto, não estamos certos de que seja este crocodilo a atacar os seres humanos, já que há muitos crocodilos na região”, disse Sumiller.

O crocodilo será entregue a um parque natural, segundo o autarca de Bunawan, Edwin Cox Elorde.

“Ele será a vedeta do parque”, acrescentou o caçador.

Bunawan é uma cidade com 30.000 habitantes, construída numa planície pantanosa, perto de um rio do mar.

O crocodilo marinho, que vive nas regiões costeiras e que suporta bem a água doce e salgada, é o maior réptil do mundo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.