Crise pode voltar se Estado retirar apoios

Crise pode voltar se Estado retirar apoios

 

Lusa / AO online   Economia   24 de Nov de 2009, 10:27

O presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) considerou
que "há o perigo de se regressar à crise" se forem "retirados os apoios" do Governo às empresas.
Em declarações à Agência Lusa, à entrada para o III Encontro Ibero-Americano de Interlocutores Sociais e referindo-se aos indicadores económicos positivos, Francisco Van Zeller disse que ainda "não é seguro [retirar os apoios] e é preciso manter muita atenção".

É preciso "manter os apoios que estão no lugar, porque se se retiram os apoios há o perigo de se regressar à crise", acrescentou.

O presidente da CIP manifestou, no entanto, a convicção de que se está muito melhor do que há seis meses.

Quanto à criação de emprego, Van Zeller considerou que a economia não vai gerar mais emprego do que aquele que se perde antes de um crescimento acima dos 2,5 por cento, o que atira a redução da taxa de desemprego apenas para depois de 2011, dado que as últimas previsões económicas apontam para um crescimento de 0,3 por cento em 2010 e de 1,5 por cento no ano seguinte.

Uma das soluções para atenuar o desemprego dos mais jovens que é defendida pelo 'patrão dos patrões' é a substituição dos empregados "mais velhos por desempregados jovens, normalmente mais qualificados, dando-lhes reformas antecipadas", afirmou o presidente da CIP.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.