Estudo

Crise financeira tira o sono a metade dos portugueses

Crise financeira tira o sono a metade dos portugueses

 

Lusa/AO online   Nacional   6 de Nov de 2012, 15:02

O estudo "O que o mantém acordado à noite", realizado por uma companhia de seguros em oito países europeus, revela que a crise financeira provoca noites mal dormidas a metade dos portugueses.

De acordo com as conclusões do estudo hoje divulgadas, "os portugueses encerram o top 5 das preocupações com os problemas com os filhos (47 por cento), a gestão da economia familiar (37 por cento), a pressão no trabalho ou na escola (30 por cento) e a situação política (28 por cento)".

No que diz respeito aos riscos, quase 40 por cento dos portugueses identifica o desemprego como o seu maior risco, enquanto aproximadamente um terço (32 por cento) indica a pobreza. Nos lugares cimeiros, está a doença (66 por cento) e a perda de um ente querido (45 por cento).

“Estes resultados devem ser lidos à luz da atual crise económica e social que vivemos em Portugal, já que, nos países onde a situação é estável, como Alemanha, Áustria e Suíça, as preocupações estão centradas na vida privada, relacionando-se com a família, parceiros ou vizinhos”, sublinham os responsáveis pelo estudo.

O estudo reuniu 4522 entrevistas em oito países (Reino Unido, Suíça, Espanha, Alemanha, Áustria, Itália, Rússia, Portugal), entre 12 de setembro e 05 de outubro.

Em Portugal, foram efetuadas 500 entrevistas telefónicas a maiores de 15 anos, de Norte a Sul do país.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.