Banca

Crédito malparado na habitação salta para 4,9%

Crédito malparado na habitação salta para 4,9%

 

Lusa/AO online   Economia   29 de Nov de 2011, 11:36

O crédito malparado na habitação em Setembro representava 4,9 por cento dos empréstimos totais concedido para este fim e não os 2,7 por cento anteriormente calculados, segundo o Relatório de Estabilidade Financeira divulgado hoje pelo Banco de Portugal.
A alteração resulta de uma mudança de critérios imposta pela ‘troika’ ao Banco de Portugal e que se traduz num alargamento do conceito de crédito malparado.

“O novo conceito de crédito em risco é mais abrangente do que o de crédito com incumprimento, incorporando, nomeadamente, a possibilidade dos devedores com prestações em atraso continuarem a não cumprir as suas responsabilidades de crédito, estando mais em linha com as práticas internacionais neste domínio”, explica o Banco de Portugal.

Com esta alteração o crédito malparado total, que era de 4,5 por cento em Setembro passou para 6,8 por cento.

Segmentando este valor, o Banco de Portugal revela que “em Setembro de 2011, os rácios de crédito em risco situavam-se em 4,9 por cento na habitação, 12,2 por cento no consumo e outros fins, 8,5 por cento nas sociedades não financeiras e 6,4 por cento no crédito concedido a não residentes”, valores que comparam com 2,7 por cento; 9,7 por cento; 5,9 por cento e 3,6 por cento, respectivamente, com os anteriores critérios.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.