Continente e Galp vão ser parceiros em semanário gratuito


 

Lusa / AO online   Economia   24 de Out de 2007, 13:51

A rede de distribuição Continente e Modelo (Sonae) e a Galp vão ser parceiros do semanário gratuito Sexta-feira, projecto conjunto do Público e A Bola, para a área de distribuição, disse à Lusa o presidente do Público.
O semanário, que será lançado sexta-feira (dia 26), vai apostar num sistema de distribuição que é "diferenciador" face aos outros títulos gratuitos existentes no mercado, afirmou Hugo Figueiredo.

"A inovação surge da combinação de várias formas e tempos de distribuição", explicou, sublinhando que o Sexta-feira será "um jornal gratuito verdadeiramente nacional".

Dos 350 mil exemplares previstos para o novo título, que partilha recursos humanos, logística e conteúdos com o Público e o desportivo A Bola, 200 mil vão ser distribuídos como encarte nos dois diários.

Os restantes 150 mil exemplares vão ser distribuídos nas caixas da rede de supermercados e hipermercados Modelo e Continente e nos principais postos da Galp em todo o país.

O jornal vai ainda estar disponível a partir do meio da tarde em locais seleccionados nas cidades de Lisboa e Porto.

De acordo com Hugo Figueiredo, o semanário poderá eventualmente desenvolver acções específicas de distribuição para um anunciante ou evento específico.

Definido como um "jornal popular de qualidade", o Sexta quer ser um "jornal que antecipa e projecta a actualidade", segundo o responsável.

"O Sexta será um jornal para levar para casa, que não vai estar tão preso à actualidade e terá um prazo de leitura mais dilatado", reforçou.

"Será um jornal de características ‘magazinescas’, leve sem ser breve, atraente sem ser cor-de-rosa, interessante sem ser profundo, sério sem ser chato e sem precisar de levar tudo a sério", afirmou no início deste mês o director do projecto, João Bonzinho.

Com 32 páginas, o semanário vai contar, entre outros aspectos, com as crónicas quinzenais da psicóloga e ex-deputada do Bloco de Esquerda Joana Amaral Dias e do actor José Pedro Gomes, e dos desenhos do cartoonista Luís Afonso, que criará uma personagem específica para o jornal.

O lançamento do Sexta envolveu um investimento de dois milhões de euros e o projecto irá ser gerido por um Agrupamento Complementar de Empresas (ACE), participado em partes iguais pelo diário Público (detido pela Sonaecom) e pelo desportivo A Bola (da Sociedade Vicra Desportiva).

Com a entrada no mercado do Sexta-feira, Portugal passa a contar com cinco títulos gratuitos, cujas tiragens, no seu conjunto, atingem quase um milhão de exemplares.

Destak e Meia-Hora, detidos pelo grupo Cofina, Metro Portugal, onde o grupo Media Capital detém uma participação, e Global Notícias, da Controlinveste, são os outros títulos presentes no mercado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.