Comissão Europeia elogia "boa execução" das verbas comunitárias nos Açores

Comissão Europeia elogia "boa execução" das verbas comunitárias nos Açores

 

Lusa/AO online   Regional   21 de Nov de 2012, 14:43

O diretor regional do Planeamento e Fundos Estruturais, Rui von Amann, que esta quarta-feira reuniu com uma delegação da Comissão Europeia, destacou o elogio feito aos Açores pela

“Perfeitamente elogiado, o que nos apraz, porque a reunião é uma bilateral. Somos nós da gestão do programa operacional e do outro lado uma delegação da Comissão Europeia e como observadores as autoridades nacionais”, afirmou Rui von Amann à Lusa, após o encontro que decorre esta manhã em Lisboa.

A reunião marcada pela Comissão Europeia serviu para prestar contas da execução financeira e material do programa PROCONVERGÊNCIA, que visa o desenvolvimento de políticas de coesão nos Açores e que lidera os níveis de execução médios do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN).

Desde o início da sua vigência, que este programa operacional já injetou na economia açoriana mais de 521 milhões de euros.

“O Governo da República fixou como meta de execução acumulada até ao final deste ano 60% da comparticipação comunitária à disposição do país, mas nós (Açores) em novembro já vamos com uma taxa de execução do nosso programa de 62%”, salientou o diretor regional, acrescentando que o balanço final do programa será feito num relatório a apresentar no primeiro semestre de 2013.

Segundo Rui von Amann “o bom desempenho açoriano” deve-se à boa programação e à prioridade que tem sido dada aos projetos co-financiados.

“Há um interesse que a execução financeira desses projetos seja boa, porque ao fim ao cabo também implica reembolsos dos fundos comunitários (se o dinheiro não for utilizado)”, explicou Rui von Amann.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.