Comerciantes contestam escolha do Mercado da Ribeira para receber desfile de moda


 

Lusa / AO online   Economia   3 de Out de 2010, 12:39

A maioria dos comerciantes do Mercado da Ribeira acredita que a realização da ModaLisboa naquele espaço pouco ou nada vai ajudar nas vendas e defende que o local não é o adequado para receber uma iniciativa do género.

“Isto toda a vida foi um mercado, agora é que serve para tudo e mais alguma coisa, só não serve para dizer ao público que aqui há peixe, carne ou legumes. Muita gente acha que o mercado está fechado devido a essas coisas - bailaricos, almoçaradas, feiras do livro”, desabafou com a Lusa Emília Cruz.

Para a vendedora de peixe, cuja banca foi transferida para uma área “sem condições” para que fosse instalada a passerelle, o público que irá assistir aos desfiles entre quinta feira e domingo “não vai comprar nada”.

A opinião é partilhada por António Vieira, dono de uma banca de carnes: “A ModaLisboa podia trazer alguém, mas não é para nós. As pessoas que vêm ver a ModaLisboa não vêm fazer compras nenhumas, vêm afunilar mais”.

“Este espaço que a ModaLisboa está a ocupar não deve ser neste sítio. Aquele espaço estava quase todo com comerciantes, que agora estão do outro lado todos encaixotados”, disse.

Instalada na banca em frente, a vendedora de peixe Maria Gonçalves concorda, acrescentando que “tem sido um pandemónio” desde que a organização começou a instalar-se no mercado, pondo a passerelle e as bancadas entre dois corredores de venda de frescos.

Também a florista Ana Santos se queixa do “transtorno” provocado “das seis da manhã às sete da tarde por um bater de ferro”.

Das duas dezenas de vendedores com quem a Lusa falou, a maioria concorda que a iniciativa não trará qualquer benefício a quem ali trabalha e que poderá causar alguns problemas na circulação de clientes e no trânsito.

Alguns, mais incomodados, não quiseram participar na reportagem, quebrando o silêncio para dizer apenas “é melhor nem falar nisso”.

No entanto, e apesar dos possíveis incómodos, há quem acredite que a 35.ª edição da ModaLisboa pode trazer benefícios ao mercado.

“Estamos um pouco mais apertados, mas a nível do evento é uma coisa boa, dá a conhecer esta zona da cidade, que está muito abandonada”, disse Maria de Fátima, vendedora de legumes e fruta, apoiada pela colega Cecília Pinheiro, para quem “pode ser que [a iniciativa] dê mais conhecimento ao mercado”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.