CDS-PP pede garantias ao ministro da Saúde sobre operacionalidade da ADSE


 

Lusa/Ao online   Nacional   30 de Jun de 2018, 18:39

O CDS-PP questionou o ministro da Saúde se a ADSE garantiu a operacionalidade das novas regras que vão entregar em vigor já no domingo e se os seus beneficiários irão sentir alguma perturbação.

Na questão, feita em 28 de junho, o CDS-PP refere que a ADSE - Instituto Público de Gestão Participada prevê a aplicação de novas regras para informação e autorização prévia por parte dos beneficiários (internamento, exames, gastroenterologia, cirurgias, entre outros), sendo que, à data, esta funcionalidade não está disponível na ADSE direta.

"Há prazos para cumprir estas obrigações para os beneficiários que venham a dirigir-se, por exemplo, a um hospital já neste domingo, dia 01 de julho, pelo que, ainda que os formulários fossem desde já disponibilizados pela ADSE, não estão ainda clarificados os procedimentos, quer a nível de informação, quer a nível de detalhe clínico, quer ainda de responsabilidade sobre a mesma", aponta o CDS-PP na questão dirigida ao ministro da Saúde através do parlamento.

"Ainda que o sistema da ADSE estivesse operacional a partir de hoje já não seria possível processar atempadamente as informações relativas aos beneficiários da ADSE que deveriam ser tratados a partir de domingo e para os quais se estão a exigir documentos prévios", prossegue.

Por isso, a deputada Ana Rita Bessa questiona o governante se "a ADSE garantiu a operacionalidade das novas regras que entrarão em vigor no próximo dia 01 de julho e que os beneficiários não sentirão nenhuma perturbação".




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.