Assembleia Legislativa Regional

CDS-PP "esconde" sentido de voto no Plano e Orçamento de 2010

CDS-PP "esconde" sentido de voto no Plano e Orçamento de 2010

 

Lusa / AO online   Regional   17 de Nov de 2009, 15:00

O presidente do PP/Açores, Artur Lima, recusou esta terça-feira divulgar o sentido de voto do partido quanto às propostas de Plano e Orçamento da região para 2010, alegando que “a tradição é só o fazer no plenário”.
“Temos propostas que também não vamos divulgar porque somos cautelosos e é preciso apurar se elas terão enquadramento nos documentos apresentados pelo governo”, afirmou Artur Lima, que é também o líder parlamentar dos populares na Assembleia Legislativa Regional.

Artur Lima, que falava no encerramento das Jornadas Parlamentares do PP/Açores, frisou que o partido “não vota contra só porque é da oposição, mas também não vota gratuitamente".

"Temos uma posição crítica, por vezes dura, mas também construtiva”, afirmou.

O líder centrista considerou que “os documentos são de continuidade [da política governamental socialista]", acrescentando que, "apesar de ligeiras inovações, preocupam porque muitas das obras prometidas na educação e saúde continuam sem concretização há anos”.

Os cinco deputados do partido no parlamento regional fizeram notar “alguma estranheza nas reduções de investimento previstas para sectores como as pescas, a habitação, a competitividade da economia e a ciência e tecnologia”.

Com agrado registaram o facto de o governo regional “reforçar substancialmente as verbas previstas para investimento em sectores fundamentais para os açorianos como a qualificação e formação profissional e os transportes marítimos e aéreos”.

O Grupo Parlamentar do CDS-PP anunciou que “decidiu renovar a apresentação da proposta de aquisição pela região de um mini-avião cargueiro, que possa levar à prática os discursos do desenvolvimento harmonioso e de combate aos efeitos da crise”.

Esta proposta “permite aos agricultores, aos pescadores e aos pequenos comerciantes das ilhas ditas mais pequenas terem maior e melhor capacidade para exportarem os seus produtos”.

Para o efeito, os deputados centristas propõem uma “parceria entre o governo regional, a transportadora aérea açoriana SATA, a Câmara de Comércio e Indústria dos Açores e as associações de agricultores e pescadores, com um custo de operação de 20/30 cêntimos por quilograma”.

“Isto permitiria a criação de um maior número de pequenas e médias empresas no mundo rural, que teriam a certeza de ver exportados os seus produtos, o que não acontece só por teimosia do governo”, defendeu Artur Lima.

Nestas jornadas parlamentares, os deputados populares criticaram a redução para metade das verbas destinadas à formação de professores e pessoal não docente, o atraso na implementação da telemedicina e a redução dos apoios à actividade económica.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.