CDS-PP/Açores critica atraso nas obras de requalificação do Porto do Topo

CDS-PP/Açores critica atraso nas obras de requalificação do Porto do Topo

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Jul de 2018, 14:53

O líder do CDS-PP/Açores, Artur Lima, defendeu esta terça-feira que a requalificação do Porto do Topo, na ilha de São Jorge, pode impulsionar o desenvolvimento económico da localidade, criticando o atraso das obras.

"São 15 milhas até à ponta da Terceira e 27 milhas até Angra do Heroísmo. É um porto que aproximava bem as duas ilhas e era fundamental para desenvolver as atividades marítimo-turísticas. Dava um impulso no turismo com a criação de novas empresas e de novas acessibilidades", adiantou, em declarações à Lusa.

Segundo o deputado centrista, cujo partido se reuniu em jornadas parlamentares na ilha de São Jorge, o Topo foi a localidade daquela ilha que mais perdeu população nos últimos anos

"Permitia fixar-se jovens e desenvolver aquela parte da ilha que está absolutamente esquecida relativamente ao resto e sobretudo aproximava a Terceira e São Jorge de uma maneira extraordinária", frisou.

Artur Lima acusou o executivo açoriano de ter "visão curta" e de ser "centralista", por ainda não ter requalificado a infraestrutura.

"Devíamos mudar o nome de Topo para porto de Santa Engrácia, porque as obras nunca acabam", salientou.

No âmbito das jornadas parlamentares, a deputada centrista Catarina Cabeceiras, eleita pelo círculo eleitoral de São Jorge, criticou também a suspensão da Linha Lilás da empresa de transportes marítimos Atlânticoline, que fazia a ligação entre o Porto da Calheta, em São Jorge, e o Porto das Pipas, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, na sequência do encalhe do navio Mestre Simão, em janeiro.

Catarina Cabeceiras defendeu, por outro lado, a construção de uma rampa roll-on/roll-off na infraestrutura existente em Angra do Heroísmo, alegando que apesar de já existir esta rampa na Calheta, as ligações só funcionarão em pleno com iguais condições nos dois portos.

O CDS-PP entregou, entretanto, na Assembleia Legislativa dos Açores, um requerimento em que questiona o Governo Regional sobre a não existência de um acordo "interlines" entre a companhia aérea açoriana, SATA, e a Delta Air Lines, que faz ligações diretas entre Nova Iorque (Estados Unidos) e Ponta Delgada (ilha de São Miguel), lembrando que a secretária regional do Turismo e Transportes anunciou em outubro que estavam a decorrer negociações nesse sentido.

Segundo a deputada centrista Graça Silveira, "era fundamental que tivesse sido assegurada a possibilidade das ligações dos voos Delta Air Lines a todas as ilhas dos Açores em voo corrido, permitindo-se que, no mesmo bilhete aéreo, todos pudessem beneficiar de condições e tarifas idênticas, independentemente da ilha de destino".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.