Abrantes

Cadáver aguarda nova sepultura em anexo de casa


 

Lusa / AO online   Nacional   22 de Mar de 2010, 10:42

Os restos mortais de um homem sepultado na freguesia de Souto, Abrantes, cuja campa foi destruída, devido ao mau tempo, estão há três meses depositados num anexo de uma casa em Vila de Rei.
A situação foi denunciada pela família do defunto, sepultado no cemitério do Souto em Julho de 2000, e cujo jazigo foi destruído a 23 de Dezembro de 2009 por uma árvore que tombou, por causa do mau tempo, e que partiu a tumba de mármore e o caixão de madeira que continham os restos mortais.

"Só se salvou o invólucro de chumbo que protegia o corpo", disse à Lusa João Barquinha, genro do homem ali sepultado, que acrescentou que os prejuízos ultrapassam os doze mil euros e que a junta de freguesia "ainda não se responsabilizou pelo pagamento dos danos verificados e nem se preocupou em levar o corpo para um jazigo de acolhimento", no cemitério.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.