Açoriano Oriental
Berta Cabral diz que Azores Trails Fest revela criação de valor para a economia, natureza e cultura através dos trilhos

A Secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas presidiu, na ilha Graciosa, à abertura da segunda edição do Azores Trails Fest, um evento criado pelo Governo dos Açores para valorizar e dinamizar um dos mais importantes produtos turísticos da Região, o pedestrianismo.

Berta Cabral diz que Azores Trails Fest revela criação de valor para a economia, natureza e cultura através dos trilhos

Autor: Governo dos Açores

Berta Cabral aproveitou a oportunidade para destacar a essência do Azores Trails Fest, que é precisamente “revelar que através dos trilhos pedestres se pode criar valor para o território, economia, natureza e, até, para a cultura”.

Segundo adiantou, “é feliz a realização desta edição na Graciosa, dado o desenvolvimento recente da rede oficial de percursos pedestres nesta ilha, demonstrando o potencial que existe e o que ainda está por explorar para atrair visitantes que valorizam a beleza da natureza, aventura e sustentabilidade”.

“A Rede Regional de Percursos Pedestres dos Açores insere-se numa estratégia de revitalização e valorização dos antigos caminhos e vias de comunicação, de forma a aumentar as potencialidades turísticas da Região, promovendo a descoberta do território e das suas paisagens naturais, históricas e rurais”, sustentou.

No Azores Trails Fest são vários os momentos que demonstram a riqueza do pedestrianismo e as virtudes da sua diversidade na confluência da prática lúdica e turística, com o desenvolvimento sustentável das nossas comunidades.

“Desde o envolvimento com a gastronomia ou com a arte, até ao papel da tecnologia, fazemos questão de consolidar esta ideia de que atividades de turismo de natureza – como o pedestrianismo – podem e devem diversificar-se e contribuir para a valorização da experiência de outros produtos turísticos, como o turismo cultural ou o turismo de bem-estar”, declarou a Secretária Regional.

Berta Cabral referiu que a Rede Regional de Percursos Pedestres oferece uma experiência única de conexão com a natureza, mas também com as freguesias e com gentes açorianas.

E prosseguiu: “Explorar os nossos percursos pedestres é uma oportunidade para descobrir recantos secretos, deambular pela história, encontrar paisagens deslumbrantes e lugares esquecidos, e testemunhar a harmonia, verdadeiramente excecional, que caracteriza a interação entre o Homem e a Natureza nos Açores”.

Os trilhos pedestres dos Açores – adiantou – têm uma importância crítica para o  turismo e porque, desde cedo, assumiram o protagonismo como um produto-âncora para o desenvolvimento dos Açores enquanto destino turístico.

“São mais do que meros caminhos; são portas de entrada para as nossas ilhas, para a nossa cultura e para o nosso ambiente”, realçou.

Nos Açores, existem mais de 780 km de percursos homologados, distribuídos por 84 trilhos nas nove ilhas e, para Berta Cabral, “ao explorar estes caminhos, quem visita tem a oportunidade de se envolver com as comunidades, conhecer os produtos tradicionais e apoiar a economia local, dinamizando pequenos negócios e diferentes setores de atividade”.

Ao mesmo tempo, permitem o desenvolvimento de outros produtos, como o canyoning, o cycling, ou o birdwatching, e, com isso, potenciam o prolongamento da estada média na Região.

Recordando que a Graciosa já alberga quatro destes trilhos, além uma Grande Rota, com mais de 53 km de percursos, facilitando uma exploração profunda e informada da ilha, Berta Cabral destacou o facto de dois destes trilhos terem sido inaugurados este ano, nomeadamente o Trilho Subida ao Cume e o Trilho das Vinhas ao Mar, o que “demonstra a vontade e o interesse do Governo dos Açores em continuar a investir no desenvolvimento da oferta de forma sistematizada e estruturada”.

A Secretária Regional reforçou a ideia de que “a importância dos trilhos pedestres nos Açores vai além do turismo”, uma vez que “está profundamente enraizada na visão de sustentabilidade e com o trabalho que tão empenhadamente tem vindo a ser implementado”.

Deixando uma nota de reconhecimento a todos quantos contribuem para a criação, desenvolvimento e manutenção da Rede de Percursos Pedestres dos Açores, Berta Cabral disse ser este “um símbolo do poder da cooperação entre o Governo e as autarquias locais, mas também o testemunho de uma cooperação mais alargada à sociedade, que chega a cidadãos que voluntariamente e altruisticamente cedem passagem nos seus terrenos e ajudam a potenciar a rede”.

Durante o Azores Trails Fest, foi apresentada a nova plataforma Monitrails, recentemente implementada pelo Governo dos Açores para ajudar no esforço de valorização dos nossos percursos pedestres.

“Estamos comprometidos em continuar a expandir e a melhorar a nossa rede de trilhos, tornando-os acessíveis a todos os que desejam explorar as nossas ilhas de uma forma responsável e memorável, pelo que continuaremos a trabalhar com esse objetivo, colaborando com todos os interessados”, concretizou.

Recordou que os Açores são o primeiro arquipélago do mundo a ser certificado formalmente como «Destino Sustentável», atingindo já o Nível III de Prata e caminhando, de forma convicta, para o Nível IV este ano e o Nível de Ouro em 2024.

Berta Cabral acrescentou que a prioridade é a preservação dos ambientes naturais e a valorização das comunidades das nove ilhas, sendo “a definição da sustentabilidade como pilar fundamental para o desenvolvimento turístico dos Açores um princípio que ficou reforçado na revisão recente do Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores (PEMTA), onde o turismo de natureza se mantém absolutamente prioritário para o posicionamento do destino”.

É desta forma que, sustentou, o Governo dos Açores assume como desígnio essencial o estímulo ao “turismo todo o ano em todas as ilhas”, mitigando a sazonalidade e dispersando os fluxos por todo o território insular.

Referindo-se aos novos máximos verificados, este ano, no número de hóspedes e dormidas (mais de 10%), e ao incremento nas receitas (mais de 22%), Berta Cabral considerou que estes números são “um sinal de que estamos a crescer mais em qualidade do que em quantidade, um fator de enorme relevância para nos prepararmos para um futuro cada vez mais competitivo e com novas dificuldades perante a conjuntura nacional e internacional”.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados