Belenenses trava ciclo vitorioso do FC Porto na Liga

Belenenses trava ciclo vitorioso do FC Porto na Liga

 

Lusa/AO   Futebol   2 de Nov de 2007, 21:03

Um Belenenses ambicioso travou hoje a caminhada vitoriosa do FC Porto na Liga de futebol, impondo-lhe no Estádio do Dragão a primeira perda de pontos com o empate 1-1 na nona jornada
Hélder Postiga (21 minutos), em situação de fora de jogo, estreou-se a marcar no campeonato, mas os lisboetas, que bem fizeram para merecer pontuar, empataram por José Pedro (50), aguentando depois a reacção dos "dragões".
Com o primeiro tropeção, o bicampeão nacional pode ver reduzida a vantagem para seis pontos sobre o Benfica (visita o Paços de Ferreira) e sete para o Sporting (recebe a Naval) caso os rivais vençam os respectivos desafios.
Desde o minuto inicial que o conjunto de Jorge Jesus se mostrou determinado a contrariar o favoritismo dos "azuis e brancos", que, tirando uns vinte minutos no último terço do encontro, nunca foram claramente superiores.
O Belenenses foi sempre uma equipa "chata" na luta pela posse de bola, não deu espaços na defesa e revelou boa dinâmica ofensiva, sabendo aguentar o assalto final do adversário sem vacilar.
Os do Restelo entraram no Dragão de peito aberto, jogando de igual para igual, impondo respeito aos "dragões" que viveram o primeiro momento de emoção quando um centro de Quaresma (07) saiu demasiado largo e "beijou" a trave.
A lesão de Lucho (aos 12 minutos deu lugar a Leandro Lima) não ajudou os portistas, que viam o adversário chegar com relativa facilidade à sua baliza: Roncatto (02) pôs à prova a atenção de Helton e aos 15 Rolando, após canto, cabeceou rente à trave.
Com a lição bem decorada, os forasteiros cortavam as linhas de passe, disso se ressentindo o jogo ofensivo dos bicampeões, que sentiam dificuldades em chegar à área: aos 20 minutos surgiram os primeiros assobios.
A impaciência revelada pelos sócios foi silenciada no minuto seguinte quando o Belenenses não afastou a bola e Paulo Assunção libertou Hélder Postiga (em fora-de-jogo) na área, com o avançado a rematar cruzado e a inaugurar o marcador, com Costinha mal batido, já que a bola passou por baixo do seu corpo.
Os pupilos de Jorge Jesus não acusaram o golo e mantiveram a atitude competitiva que quase lhes valeu o empate num ataque concluído por Roncatto (35), que obrigou Helton a defesa apertada para canto. Volvidos dois minutos, o disparo, perigoso, do brasileiro acertou em Bruno Alves.
A atitude e bom futebol do Belenenses foram recompensados no reatamento: em lance rápido, Roncatto (50) toca para José Pedro na área que surge na cara de Helton e pica-lhe a bola, com o guarda-redes a ver quebrado um longo jejum de inviolabilidade que durava desde a primeira jornada, em Braga.
O FC Porto entrou então na melhor fase - entre os 70 e 80 minutos - e criou oportunidades sucessivas que Lisandro López (por duas vezes), Bruno Alves e Quaresma não conseguiram transformar em golo. Na resposta, Roncatto e Weldon não se entenderam e gorou-se a melhor oportunidade dos forasteiros.
Rafael Bastos (80) quase fez auto-golo e, pouco depois, na mais flagrante oportunidade dos locais, o desvio de Adriano saiu rente ao poste esquerdo, com Tarik a falhar a emenda em cima da linha fatal.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.