Taça UEFA

Belenenses afastado da Taça UEFA pelo Bayern Munique

Belenenses afastado da Taça UEFA pelo Bayern Munique

 

Lusa/AO   Futebol   4 de Out de 2007, 21:43

O Belenenses foi afastado da Taça UEFA em futebol, ao perder no Estádio do Restelo com o Bayern de Munique por 2-0, em encontro da segunda mão da primeira eliminatória da prova
Os alemães do Bayern de Munique carimbaram hoje o passaporte para a fase de grupos da Taça UEFA em futebol, ao vencerem o Belenenses por 2-0, em encontro da segunda “mão” da primeira eliminatória, disputado em Lisboa.
O ponta-de-lança italiano Luca Toni repetiu a “graça” do jogo da primeira “mão” (apontou o 1-0 final), ao inaugurar o marcador aos 59 minutos, gelando por completo o Restelo, e, aos 77, o turco Altintop sentenciou o resultado.
O técnico dos “azuis”, Jorge Jesus, voltou a apresentar o mesmo esquema táctico com que jogou em Munique, num sistema “5-3-2”, com Cândido Costa na direita, Rolando, Devic e Hugo Alcântara como centrais e Rodrigo Alvim na esquerda, um tridente no meio-campo, constituído por Ruben Amorim, Silas e José Pedro, e um ataque entregue a Weldon e Roncatto.
Por sua vez, Ottmar Hitzfeld, fez alinhar o Bayern em “4-5-1”, com um quarteto defensivo composto por Lell, Lúcio, Demichelis e Jansen, à frente de Rensig, substituto do lesionado Oliver Kahn, um meio-campo com Van Bommel, Zé Roberto, Altintop, Schweinsteiger e Ribery e Luca Toni sozinho na frente.
O Belenenses começou muito bem e poderia ter inaugurado o marcador por duas ocasiões nos primeiros 10 minutos, mas o avançado brasileiro Weldon não foi capaz de levar a melhor sobre o guarda-redes bávaro Rensing.
A primeira contrariedade dos “azuis” aconteceu aos 14 minutos, com Cândido Costa a lesionar-se após uma corrida para tentar travar Schweinsteiger: desolado, o lateral direito luso deixou o relvado a coxear, cedendo o lugar ao brasileiro Amaral.
Durante o primeiro tempo, o Belenenses vulgarizou o Bayern de Munique, obrigando os alemães a jogar no seu meio-campo, com Silas, Roncatto e Weldon a obrigarem a “cortina de ferro” defensiva a cuidados redobrados.
A primeira grande ocasião de golo de todo o primeiro tempo, deu-se aos 44 minutos, com o guarda-redes Costinha a entregar o corpo à bola, depois de um remate de Jansen, a passe de Schweinsteiger, segurando o “nulo”.
No reatar da contenda, o Belenenses manteve o ritmo do primeiro tempo, mas, aos 59 minutos, caiu o “balde de água fria” no Estádio do Restelo, quando Luca Toni, sozinho na área, após desatenção de Hugo Alcântara, inaugurou o marcador.
O Belenenses não acusou o “toque” e continuou em cima do adversário: para dar mais pressão na frente, Jorge Jesus alterou o esquema táctico, tirando o central sérvio Devic e colocando em campo o extremo angolano Mendonça, que se estreou oficialmente esta temporada.
Contudo, a substituição revelou-se infrutífera e os “azuis” acabaram por consentir outro golo, desta vez marcado por Altintop, aos 77 minutos, que aproveitou uma desatenção da defesa do Belenenses, dando a melhor sequência a um passe de Luca Toni.
Antes do apito final, o Belenenses poderia ter reduzido, mas o avançado brasileiro João Paulo, que entrou a substituir Weldon, e Roncatto não conseguiram o tento de honra dos “azuis”.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.