Açoriano Oriental
Açores/Eleições
BE diz que é “inaceitável” que Governo Regional “esconda” plano da SATA

O coordenador do BE/Açores, António Lima, declarou que é “inaceitável” que o Governo Regional, socialista, “esconda”, a semanas das eleições legislativas regionais, o plano de reestruturação da SATA.

BE diz que é “inaceitável” que Governo Regional “esconda” plano da SATA

Autor: Lusa/AO Online

“Continua a ser completamente inaceitável que o Governo Regional, a semanas das eleições, não divulgue o plano de reestruturação da SATA, que já está provavelmente em prática, mas que o executivo esconde porque certamente não é coisa boa que lá está”, declarou António Lima.

O dirigente do Bloco, que se reuniu hoje, em Ponta Delgada, com a direção do SITAVA-Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos, no âmbito da pré-campanha para o sufrágio de dia 25, considerou que “se fosse coisa boa, o Governo Regional já teria feito mais uma inauguração a apresentar o plano de reestruturação”.

António Lima afirma que “a democracia exige que o futuro da SATA seja claro e transparente para todos os açorianos, para que em 25 de outubro todos os cidadãos saibam escolher e decidam com base em toda a informação, que Vasco Cordeiro e PS escondem”.

O dirigente bloquista defende que, com base no quadro financeiro plurianual 2021-2027, tem que se “fazer um investimento sério na economia e que passará, certamente, pela recuperação de uma empresa estratégica para os Açores, porque não faz sentido deixar cair a SATA, porque não há mobilidade interna sem a companhia” aérea.

António Lima diz que o “buraco financeiro que existe na SATA é da responsabilidade das administrações do PS” e que “não há outra forma de o resolver senão com uma recapitalização pública da empresa, a longo prazo”.

“Ninguém vai assumir aquela dívida por nós e é preciso penalizar quem é responsável por isso, que é o PS/Açores”, frisa o coordenador do BE/Açores.

As duas transportadoras aéreas do grupo SATA fecharam o primeiro semestre com prejuízos de cerca de 42 milhões de euros, que comparam com perdas de 33,5 milhões no período homólogo, indicam documentos oficiais a que a Lusa teve acesso.

A SATA pediu recentemente um auxílio estatal de 133 milhões de euros, operação aprovada por Bruxelas.

No entanto, a Comissão Europeia abriu um procedimento para Portugal provar que os três aumentos de capital recentes na transportadora açoriana não foram ajudas do Estado, decorrendo atualmente o prazo para o país responder.

As próximas eleições para o parlamento açoriano decorrem em 25 de outubro.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos, a coligação PCP/PEV, com 2,6%, um, e o PPM, com 0,93% dos votos expressos, também um.

O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.

Vasco Cordeiro, líder do PS/Açores e presidente do Governo Regional desde as legislativas regionais de 2012, após a saída de Carlos César, que esteve 16 anos no poder, apresenta-se de novo a votos para tentar um terceiro e último mandato como chefe do executivo.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.