Eleições

BE contra salários baixos e discriminação das mulheres

BE contra salários baixos e discriminação das mulheres

 

LUSA/AOnline   Regional   10 de Out de 2012, 19:54

A coordenadora do BE/Açores, Zuraida Soares, considerou hoje que, se a região quer ganhar o futuro, "não pode continuar a assentar o seu desenvolvimento" em baixos salários, na precariedade laboral e na discriminação laboral.

Numa ação de campanha para as eleições regionais de domingo junto a uma fábrica de conservas na ilha de S. Miguel, a dirigente bloquista alertou para a necessidade de se mudar uma situação, agravada pela crise, que atinge de forma particular as mulheres.

“As mulheres são quem mais sente os efeitos desta crise avassaladora em que estamos mergulhados. Sentem quer estejam desempregadas, quer estejam empregadas, porque muitas têm emprego mas é um emprego permanentemente precário, com uma discriminação salarial indecente”, face aos homens com o mesmo trabalho, salientou Zuraida Soares.

A coordenadora regional do BE/Açores, referindo-se à unidade industrial junto à qual realizou a ação de campanha, denunciou a existência de “mulheres que trabalham oito horas diárias e que, ao fim de oito, 10, 15, 20 anos de trabalho, continuam a ganhar o ordenado mínimo”.

Zuraida Soares insistiu ainda nas críticas à nova legislação laboral, contestando especialmente o banco de horas, que “transforma a vida das mulheres num verdadeiro inferno”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.