Barclays compra actividades de mercado da Lehman Brothers


 

Lusa/AO   Economia   17 de Set de 2008, 06:23

O banco britânico Barclays anunciou hoje em comunicado que chegou a um acordo para comprar as actividades de mercado do banco norte-americano Lehman Brothers nos Estados Unidos.
 “A direcção do Barclays anuncia que o Barclays chegou a acordo (…) no âmbito dos acordos de regulação, para adquiri as actividades de mercado”, indicou o banco.

    “Trata-se de uma oportunidade que se apresenta uma única vez na vida do Barclays”, comentou o presidente do banco britânico, Robert Diamond.

    O Barclays indicou que vai adquirir os activos comerciais do banco norte-americano por 49 mil milhões de libras (50 mil milhões de euros) e os passivos comerciais de 38 mil milhões de libras.

    O banco britânico vai ainda adquirir a sede do Lehman em Nova Iorque.

    Terça-feira, o Wall Street Journal anunciou que o acordo tinha sido conseguido.

    Segundo o diário económico norte-americano, que citou fontes próximas do dossier, a transacção eleva-se a dois mil milhões de dólares e envolve 9.000 dos mais de 20.000 funcionários do Lehman.

    O Lehman Brothers colocou-se segunda-feira ao abrigo da lei sobre as falências.

    O Barclays surgiu durante o fim-de-semana como o candidato mais sério à compra do Lehman, quando este teve de procurar um comprador devido a uma vaga de desconfiança dos mercados em relação à instituição.

    Os poderes públicos norte-americanos recusaram conceder à operação garantias similares às que foram concedidas em Março à JPMorgan para comprar um outro banco em dificuldades, o Bear Stearns.

    As discussões não resultaram e Lehman apresentou o seu balanço na segunda-feira de manhã.

    O Barclays assume-se como o terceiro banco britânico segundo o critério da capitalização bolseira, atrás do HSBC e do Royal Bank of Scotland (RBS).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.